segunda-feira, fevereiro 27, 2006

Doze escolas poderão encerrar no concelho

Se a lista enviada à DREC for cumprida, no próximo ano lectivo encerram doze escolas do 1.º ciclo. Três pertencem a Alhadas.

Por solicitação da Direcção Regional de Educação do Centro (DREC), os agrupamentos escolares elaboraram a lista de escolas do 1.º ciclo com menos de 10 alunos. O resultado do levantamento ditou que uma dúzia de escolas do concelho poderão ser encerradas no próximo ano lectivo.

A lista em causa poderá fazer com que a freguesia de Alhadas perca três escolas: Carvalhal, Broeiras e Esperança. Mas a esperança é a última coisa a morrer. “Até ao último momento antes da decisão ser tomada, vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para evitar essa possibilidade”, promete o presidente da junta, Jorge Oliveira.

As escolas do 1.º ciclo do ensino básico da Serra da Boa Viagem, Quiaios; de Fontela, Vila Verde; de Carritos, Tavarede, de Cunhos, Moinhos da Gândara; de Negrote, Alqueidão; de Porto Godinho, Borda do Campo; de Cabecinhos, Lavos; e de Morros, Bom Sucesso, também estão na lista “negra”. Os alunos serão transferidos para as escolas mais próximas.

No concelho existem 55 escolas e 2.400 alunos do 1.º ciclo. Entretanto, os pais e encarregados de educação de Porto Godinho e Serra da Boa Viagem já fizeram pré-matrículas suficientes para evitar o encerramento. A DREC, por sua vez, indicou aos agrupamentos para as aceitarem até à sua concretização.

Acelerar processos

A Carta Educativa do município prevê a construção de três centros escolares, em S. Julião, Tavarede e S. Pedro. O último contempla ensino integrado, do pré-escolar ao 3.º ciclo. A vereadora da Educação admite adiantar o processo de S. Julião, “uma vez que as escolas do Viso e das Abadias se encontram sobrelotadas”.

Teresa Machado também não descarta a possibilidade que as escolas com 2.º e 3.º ciclos de Buarcos e Alhada possam vir a receber, no próximo ano lectivo, crianças do 1.º ciclo. Nestes casos, o ensino integrado acelera-se porque o número de alunos daqueles estabelecimentos encontra-se “muito aquém da sua capacidade”.

in Diário As Beiras