sábado, fevereiro 28, 2004

Goran Karadzvic reforça Ginásio



Goran Karadzvic, 29 anos, natural da Jugoslávia é o novo reforço do Ginásio Clube Figueirense, equipa a militar na Liga de Clubes de Basquetebol.
O jogador de dois metros de altura e cem quilos de peso, joga na posição de extremo.
Goran que disputava o campeonato alemão, na 1ª Divisão, ao serviço do GHP Bamberg, vem assim reforçar a equipa ginasista até ao final da temporada.

No seu curriculo, Goran Karadzic tem um títulos de campeão jugoslavo pelo Estrela Vermelha de Belgrado em 1992/93 e 1993/94, integrou a selecção jugoslava pela qual conquistou a medalha de bronze no Europeu de Instambul. Em 1996/97, Karadzic havia sido chamado à equipa nacional no escalão de Sub-22.

Eleito defensor do Ano do campeonato jugoslavo em 1997, para além do Estrela Vermelha Goran já passou ainda pelo BC Borovica e BC Warbud Warschava.

sexta-feira, fevereiro 27, 2004

Grafitos infestam monumentos



A proliferação e o aumento de grafitos no muros, prédios e monumentos da Figueira da Foz está a preocupar as diversas forças políticas da cidade.

O assunto foi abordado no decorrer da última sessão da Assembleia Municipal local, onde o deputado do Partido Popular, Fernando Sansana alertou para a “praga” de desenhos urbanos que invadem o património da cidade. “Aquilo que começou por ser dezenas são agora alguns milhares e em causa está a preservação do nosso património que, no futuro, estarão conspurcados” afirmou o deputado popular.

Fernando Sansana sugere no entanto que a Câmara “não deve ter uma atitude repressiva, antes pedagógica e de sensibilização”.

Também o socialista João Carronda, presidente da junta de Vila Verde, se manifestou preocupado com o crescente vandalismo na freguesia. “O vandalismo, de facto, prolifera e é sentido violentamente em Vila Verde” referiu Carronda pedindo “mais policiamento” para a freguesia, afim de “evitar que o problema assuma outras proporções”.

Duarte Silva, presidente da Câmara Municipal local, deixou a garantia que a autarquia “vai incrementar acções pedagógicas”, bem como solicitar “um maior policiamento” para as zonas consideradas mais problemáticas.

quinta-feira, fevereiro 26, 2004

Duarte Silva pondera demissão da Assembleia Geral da ERSUC


Duarte Silva
foto in figueiradigital

O presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, o social-democrata Duarte Silva poderá deixar a presidência da Assembleia Geral (AG) da ERSUC, empresa intermunicipal que trata dos Resíduos Sólidos Urbanos (RSU).

Em causa está a construção de um novo aterro intermunicipal, que, de acordo com o contrato que dá corpo legal ao aterro, deverá ser construído em Montemor-o-Velho.

Apesar de estar estipulado a rotatividade dos municípios que receberiam esse aterro, a proposta do município montemorense passa por “prolongar o aterro da Figueira”.

A sugestão não agrada a Duarte Silva que não abica da rotatividade. “Se até à próxima AG da ERSUC, em Março, não for encontrada uma solução, tomo a liberdade de entregar a presidência do órgão a que possa trazer melhores resultados” afirmou Duarte Silva, ontem, no decorrer da Assembleia Municipal da Figueira da Foz.

O autarca teme que com este jogo do empurra se regresse aos tempos da lixeiras. “Isto é um problema preocupante e é inaceitável que, se não se encontrar uma solução, vamos andar 10 anos para trás e, se calhar, voltaremos a ter lixeiras” sustentou o autarca.

Apesar de se encontrar a dois anos do fim do prazo de validade, o aterro intermunicipal da Figueira da Foz está saturado e continua a receber RSU de mais de uma dezena de concelhos.

quarta-feira, fevereiro 25, 2004

Ginásio apurado para os oitavos de final da Taça


Orlando Simões

O Ginásio Clube Figueirense (LCB), conquistou o apuramento para os oitavos de final da Taça de Portugal em basquetebol ao derrotar, esta noite, em Torres Vedras, o Física de Torres (PROLIGA), por 62-71.

O clube da Figueira da Foz esteve sempre à frente no marcador e a vitória acabou por ser “mais fácil” do que aquilo que o treinador ginasista esperava. “O jogo não foi muito complicado e isso ficou expresso na primeira parte. Rodámos todos os jogadores e as coisas foram relativamente fáceis” disse, à Maiorca FM, Orlando Simões.

A partida foi aproveitada pelo técnico da turma figueirense para dar algum descanso aos jogadores mais utilizados na LCB, fazendo entrar atletas com menos experiência e “rodagem”.

Agora as atenções do Ginásio estão viradas para o campeonato e para a partida do fim-de-semana frente ao líder da LCB, o Queluz. “Vai ser uma partida muito difícil, a terminar um mês terrível para o Ginásio” desabafou Orlando Simões que quer ganhar a partida.

“Temos uma enorme vontade de melhorar e de ganhar frente ao Queluz” avisou Orlando Simões.

Depois da derrota frente à Oliveirense, para o campeonato, os ginasistas baixaram à 7.ª posição (9 v-13 d) da tabela classificativa. Seixal, Benfica e Lusitânia perseguem a turma da Figueira da Foz, que não terá vida facilitada para garantir a presença nos play-off de 2003-04.

“Neste momento não será complicado só para nós. Há cinco equipas, pelo menos, que vão lutar pelos três lugares que restam para os play-off, mas o Ginásio vai lutar para conquistar o apuramento” disse, à Maiorca FM, Orlando Simões.

“Ainda acredito na subida à Super Liga”, refere Aprígio Santos


Aprígio Santos acredita na subida de escalão
foto in figueira.net

O presidente da Naval 1º de Maio abriu o jogo e revelou, hoje, à Maiorca FM, o porquê da demissão do técnico Tony Oliveira. “É um assunto que não tem muita explicação” começou por dizer Aprígio Santos que sustentou que o clube “deu o que tinha para dar ao Tony, tal como o Tony, presumo, tenha feito o mesmo”.

“Ultimamente as coisas (resultados) não tem corrido bem e como ainda acredito que é possível lutar pela subida de divisão, vou tentando (essa subida)” frisou o líder navalista.

Aprígio Santos continua a acreditar na subida à Super Liga de futebol, um sonho que ambiciona “desde há longo tempo”. “A Naval é um clube diferente, com uma direcção diferente e está numa terra diferente, mas que luta com as poucas armas que tem e que acredita que é possível (a subida de escalão). E eu acredito que é possível” sustentou.

Com a demissão de Tony, Fernando Mira assumiu o comando da equipa, cargo que deverá ocupar até ao próximo fim-de-semana.
Entretanto o nome de Guto Ferreira, ex-Penafiel surgiu, hoje, como o de possível treinador da Naval, um nome que Aprígio Santos não confirmou.

“Há muitos palpites, isso é mandar nomes para o ar. A equipa foi entregue ao Mira e só no princípio da próxima semana deverá haver uma decisão” disse Santos que admitiu que “Guto Ferreira, ex-Penafiel, Vítor Oliveira, ex- Académica ou Mário Reis, ex- Gil Vicente” estão na “mira” e algum desses nomes poderá, eventualmente, ser escolhido para ocupar o lugar deixado vago por Tony.

Após a chicotada psicológica na Naval que “vitimou” Tony, Aprígio Santos deixou um recado ao balneário navalista. “Às vezes temos de fazer coisas que não gostamos e há os que fazem e os que não fazem. Um grupo foi escolhido para trabalhar e o trabalho tem regras e leis” sublinha Aprígio Santos.

“Tem de haver atitude de trabalho, as vitórias não caem do céu. Conquistam-se... E é essa conquista que eu quero que os jogadores tenham” referiu Aprígio Santos.

Actores portugueses “brilham” no Carnaval de Buarcos


"Carnaval da Figueira tem classe"
António Cerdeira e Sofia Alves
foto in figueira.net

“Muitos milhares de pessoas” presenciaram, ontem, na Avenida do Brasil, o Carnaval de Buarcos, Figueira da Foz, onde os actores Sofia Alves e António Cerdeira, protagonistas da telenovela “O teu olhar” da TVI foram os reis do corso carnavalesco.

Depois da chuva e do mau tempo que, no domingo, quase obrigou ao cancelamento do desfile, ontem, S.Pedro “portou-se bem” e milhares de pessoas (julgam-se que cerca de 30 mil) aproveitaram o sol e o calor para se divertirem no carnaval figueirense. “Este Carnaval tem muita classe” afirmou, ao JN, o rei António Cerdeira, na sua primeira experiência “real”.

Habituada a outros tronos, Sofia Alves experimentou pela primeira vez a sensação de ser rainha do carnaval. “Isto é mágico, as pessoas são encantadoras e hoje (ontem) sinto-me como filha da Figueira da Foz” disse, ao JN, a actriz.

Sempre bem dispostos e simpáticos, os reis do corso figueirense, incansáveis, nunca negaram um autógrafo ou uma foto a quem pedisse, pelo que a aposta da empresa municipal Figueira Grande Turismo (FGT) em contratar reis nacionais se traduziu “numa aposta ganha”. “A contratação dos dois actores foi uma aposta ganha, e hoje (ontem) foi aqui provada, porque as pessoas identificam-se com os reis” disse, ao JN, Nuno Encarnação da FGT, entidade organizadora do evento.

Também o presidente da Câmara Municipal local, Duarte Silva estava “satisfeito” com o espectáculo. “É um sucesso. Está bom tempo, uma festa bonita e a Figueira continua no mapa” afirmou o autarca.

O povo esse não escondia os motivos da vinda ao Carnaval figueirense. “São espectaculares. Muito simpáticos e dois bons actores portugueses. Vim cá por causa deles (dos reis)” frisou Diamantina Eugénio, de Leiria.

Sentido único

Nove grupos e 14 carros alegóricos, aos quais se juntaram as duas escolas de samba da Figueira da Foz e milhares de foliões” espontâneos” fizeram a edição 2004 do Carnaval de Buarcos num percurso de 1.100 metros, na avenida do Brasil, paralela à praia, este ano, pela primeira vez, em sentido único entre a Figueira da Foz e Buarcos.

A alteração introduzida pela FGT deixou descontentes algumas pessoas e comerciantes. “O negócio foi fraco e para os comerciantes foi mau a alteração que fizeram, em realizar o desfile só de um lado da avenida” desabafou Adelino Santos, comerciante.

O administrador da FGT salientou que acedeu a “um pedido da totalidade dos participantes do corso”. “O desfile em sentido único veio animar muito mais os grupos e as escolas de samba. Veio facilitar a vida aos participantes e a animação é muito maior” afirmou Nuno Encarnação.

Tony "surpreso" com o afastamento da Naval


Aprígio Santos e Tony Oliveira
foto in O Figueirense

O treinador da Naval 1º de Maio António Conceição Oliveira ( Tony, como carinhosamente é tratado) afirmou ter sido apanhado de “surpresa” pela decisão da direcção do clube da Figueira da Foz em prescindir dos seus serviços de treinador da Naval, equipa que milita actualmente na Liga de Honra do futebol português.

“Foi-me comunicado esta manhã (ontem) a decisão do presidente da Naval (Aprígio Santos). Fui apanhado de surpresa por esta decisão” afirmou, à Maiorca FM, Tony Oliveira.

Abatido, triste e agastado com a situação, o “mister” navalista saí de “consciência tranquila” e deixou uma palavra de agradecimento. “Quero deixar uma palavra de apreço e um agradecimento especial às pessoas da Figueira pelo carinho que me demostraram nos últimos meses” disse Tony.

Ao comando da Associação Naval 1º de Maio desde Julho do ano passado, Tony Oliveira levou a equipa até aos quartos-de-final da Taça de Portugal, onde acabaria por ser derrotada pelo Braga por 2-3, no municipal Bento Pessoa, na Figueira da Foz. Actualmente a equipa verde e branca da Figueira da Foz situa-se no sexto posto da Liga de Honra.

Ligado ao mundo do futebol há trinta anos, Tony Oliveira é treinador há 13 épocas. O futuro? “Vou esperar por novas oportunidades. Quero dar continuidade à minha carreira de futebol e dar sempre o meu melhor” afirmou o técnico.

Segundo fonte da Naval “os maus resultados da equipa” ditaram o afastamento do técnico. Nos últimos seis jogos a turma navalista alcançou “apenas” uma vitória, um empate e quatro derrotas.

Para já ainda não há nenhum nome apontado para substituir Tony Oliveira. Fernando Mira, adjunto de Tony, assumiu o comando da equipa, tendo orientado o treino da manhã de ontem.

terça-feira, fevereiro 24, 2004

Tony dispensado da Naval - última hora


Aprígio Santos ainda não explicou saída de Tony
foto in figueira.net

O treinador da Naval 1º de Maio foi, esta manhã, arredado do comando técnico da equipa principal do futebol da Naval, equipa da Figueira da Foz a militar na Liga de Honra do futebol nacional.

“Os resultados das últimas jornadas” são, alegadamente, a justificação para a dispensa do treinador, ex- Sp. Braga.

Contactado pelo INFOFIGUEIRA, Tony Oliveira apenas confirmou a demissão. “Esta manhã, quando a equipa ia treinar, o presidente da Naval – Aprígio Santos – comunicou-me essa decisão” disse Tony Oliveira, sem quer fazer qualquer outro comentário sobre o assunto.

Por seu lado, Aprígio Santos não quis, para já, prestar declarações sobre aquela que é a primeira chicotada psicológica da temporada na equipa figueirense, apenas confirmando a dispensa do técnico que chegou à Figueira da Foz rotulado de “o treinador do futuro navalista”.

O presidente da Naval adiantou ao INFOFIGUEIRA que prestará todos os esclarecimentos "logo que possível" sobre esta chicotada.

Irene Pereira lança "A outra"

"Por detrás da aparente normalidade da vida quotidiana, escondem-se muitas
vezes as terríveis forças da solidão. Delas brotam acções e vivências que
parecem desafiar o absurdo, assumindo-se como formas de resistência à
ausência de afectos, ao vazio provocado por uma auto- -estima em degradação
permanente.


O sonho do encontro, a ousadia transgressora de quem sente nada mais ter a
perder, a determinação em romper com a clausura sufocante das paredes de uma
prisão, tecidas na surpresa do reverso das ilusões amorosas, leva muitas
vezes a penetrar no submundo de vivências cruas e inimagináveis, ambientadas
por um misto de desespero e de vingança.


O anonimato das mensagens funciona muitas vezes como a porta de passagem
para esse mundo. Mas, depressa, se diluem as fronteiras entre o virtual e o
real, porque o sofrimento se sente, em uníssono, na alma e no corpo. Nesse
limiar, surgem as histórias ‹ como a que é contada neste livro ‹ mais
surpreendentes e perturbadoras. Porque, a crueza e a frontalidade com que aí
se dizem as vivências não nos deixam mais a possibilidade de negar o que, em
gesto de civilidade, passamos a vida a ocultar ou a remeter para a duvidosa
mania do escândalo ou para a tão apetecida prática do escárnio e da má
língua.
"

PJ detem traficantes em Coimbra e Figueira

A Polícia Judiciária, através da Directoria de Coimbra, desencadeou, após vários meses de investigação, duas acções, visando obstar ao desenvolvimento do circuito de abastecimento de estupefacientes à zona centro do País. A primeira ocorreu em Coimbra, a segunda aconteceu na Figueira da Foz.

No decurso das investigações, foram identificados e detidos, por existirem fortes indícios da prática do crime de tráfico de estupefacientes, quatro indivíduos, sendo dois deles estrangeiros, de nacionalidade ganesa, com idades compreendidas entre os vinte e quatro e os trinta e oito anos.

Foi ainda apreendida heroína, em quantidade suficiente para a preparação de cerca de 2.500 (duas mil e quinhentas) doses individuais, cocaína, em quantidade suficiente para a preparação de cerca de 1.500 (mil e quinhentas) doses individuais, bem como 37 comprimidos de ecstasy, uma pequena quantidade de haxixe, cerca de 2.500 euros e duas armas de fogo.

segunda-feira, fevereiro 23, 2004

Tânia Garcia vence no Torneio Nadador Especialista

A piscina Municipal de Mira recebeu, este fim-de-semana, o Torneio Nadador Especialista, aberto às categorias de seniores, juniores, 1º e 2º agrupamento, organizado pela Associação de Natação de Coimbra (ANC), com a participação de 9 clubes com um total de 186 atletas.

O Ginásio Clube Figueirense apresentou neste torneio uma equipa de 23 atletas das diversas categorias, tendo conseguido a vitória no grupo G3 pela nadadora Tânia Garcia de 12 anos.

Outros nadadores conseguiram tempos mínimos para o Campeonato Zonal a realizar no primeiro fim de semana de Abril na cidade de Bragança. De uma forma geral a maior parte dos nadadores do GCF melhoraram os seus tempos.

Para a semana realizar-se-á na Piscina do Paião o 1º Festival de Escolas da ANC, que vai trazer ao conselho da Figueira da Foz dezenas de nadadores das escolas desta associação, incluindo atletas do GCF.

Domingo "gordo" no Casino



Uma slot machine do Casino da Figueira da Foz deu, este domingo, um prémio de cerca de 850 mil euros (cerca de 170 mil contos), «o maior prémio de sempre», dado por aquela casa de diversões.
Fonte do Casino revelou, ao INFOFIGUEIRA, que o prémio saiu “eram cerca das 16h30”
O felizardo, natural de Coimbra, com 58 anos de idade, não revelou a sua identidade.

Morreu Jorge Traqueia Bracourt


Jorge Traqueia Bracourt
foto in O Figueirense

Morreu Jorge Traqueia Bracourt, uma das figueiras mais emblemáticas da cultura, do jornalismo e do associativismo da Figueira da Foz. Jorge Bracourt, de 92 anos, faleceu, este domingo, no lar da Misericórdia - Obra da Figueira deixando “saudade” a todos aqueles que o conheceram de perto.

Enquanto jornalista escreveu n´ O Século, Diário de Notícias, Diário Ilustrado e n´ A Voz da Justiça.
Dedicou-se ao teatro e ao Caras Direitas, colectividade na qual fez parte dos órgãos sociais, desde 1932 a 1982.

Jorge Bracourt que no mandato de Santana Lopes, na Figueira da Foz, foi homenageado “pelo reconhecimento e dedicação” à sua terra, com a atribuição do seu nome e a colocação do seu busto no largo junto às traseiras do Caras Direitas.

domingo, fevereiro 22, 2004

Portas abertas custam cem mil euros à Câmara


Foliões gozaram na Figueira

Nunca antes uma partida de S. Pedro num carnaval tinha saído tão cara à Câmara Municipal da Figueira da Foz. O mau tempo que se fez sentir, esta tarde, na cidade quase impediu a realização do corso carnavalesco, orçado em 225 mil euros, que chegou mesmo a ser anulado e, posteriormente, retomado.

Cerca das 14h00, a Figueira Grande Turismo, entidade organizadora, decidiu levar por diante o corso dando uma benesse: entradas à borla justificadas “pelo atraso e pelas condições climatéricas”.

Mas essa “borla” da autarquia inviabilizou receitas de bilheteira na ordem dos 105 mil euros (30 mil pessoas esperadas com bilhetes a 3,5 euros). “É algum prejuízo. Deixamos de ter o lucro que referiu, mas estamos mais apostados na qualidade do evento e em proporcionar às pessoas que usufruam do carnaval. O prejuízo é secundário” disse, ao JN, Graça Vasco, administradora da FGT.

Reis desmentem cachets polémicos

Sofia Alves e António Cerdeira, os reis, distribuíram simpatia e boa disposição pelos “vários milhares” de súbditos. Quanto à polémica dos cachets “reais”, António Cerdeira foi peremptório. “Essa verba avançada (15 mil euros para cada) é falsa. Vimos aqui ganhar muito menos” afirmou, ao JN, Cerdeira corroborado por Sofia Alves, sem que no entanto qualquer uma de "suas magestades" tivesse revelado o cachet ganho na Figueira.

Capitania “pescou” 140 kg de pescado imaturo


Capitania apreendeu pescado imaturo
foto in Diario de Coimbra

A Capitania da Figueira da Foz apreendeu cerca de 140kg de pescado imaturo, no decorrer de uma acção de rotina, este sábado, cerca das 02h00, no Cais 1 do porto de pesca da Figueira da Foz.

Pescada, Lulas e Polvos faziam parte da “caldeirada” interceptada pela Capitania da Figueira da Foz. “O peixe apreendido encontrava-se no interior de uma carrinha e pensamos que seguiria já canalizado para o circuito comercial” disse, à Maiorca FM, Fidalgo de Oliveira, comandante da Capitania.

Para além do peixe imaturo, a Capitania procedeu ainda à “intercepção” de dois indivíduos, bem como à apreensão da carrinha onde foi encontrado o pescado imaturo.

O peixe foi depois distribuído por quatro instituições de solidariedade social. “O peixe foi distribuído, ontem pela manhã, por instituições de solidariedade da área da Figueira” revelou Fidalgo de Oliveira.

Ginásio recebe Oliveirense


Ginásio defronta Oliveirense, sem Henrique Vieira

O Ginásio Clube Figueirense recebe a Oliveirense, hoje, pelas 17h00, no Pavilhão de Montemor-o-Velho, em partida referente à 22ª jornada da Liga Profissional de Basquetebol.

O técnico da turma figueirense aguarda “grandes dificuldades” esta tarde frente à equipa de Oliveira de Azeméis. “Vai ser um jogo difícil. A Oliveirense está na quarta posição a fazer um bom campeonato, tem um bom plantel, mas o Ginásio quer vencer” disse, ao INFOFIGUEIRA, Orlando Simões.

Para o treinador ginasista este mês de Fevereiro “é um mês terrível” com o Ginásio a receber as equipas melhor posicionadas na tabela classificativa da Liga. “Chamei-o (Fevereiro) de mês terrível e é mesmo. Foi o Porto, agora a Oliveirense, depois o Queluz” sustentou Orlando Simões.

Quanto ao plantel, o técnico lamenta que o Clube Figueirense ainda “não está bem”. Rodrigo Mascarenhas continua a fazer trabalhos de recuperação. O lituano Dainius Staugaitis “tem prolongado a sua lesão”, e apenas José Costa está a 100%. “Continuamos com algumas lacunas graves para esta altura do campeonato” desabafa Simões.

Entretanto e segundo noticiou o site oficial da Oliveirense, www.oliveirensebasquetebol.com, o clube despediu o treinador Henrique Vieira que, há oito anos, orietava a equipa.

O treinador que teve a responsabilidade de conduzir a equipa de Oliveira de Azeméis ao topo do basquetebol nacional e uma vez mais se encontrava na condição de vir a discutir o título da LCB que sempre lhe escapou das mãos, acaba por não se manter à frente do projecto até ao final do campeonato.

sábado, fevereiro 21, 2004

Naval perde nos Açores


Logo in figueira.net

A Naval 1º de Maio perdeu, esta tarde, frente ao Santa Clara, no jogo inaugural da 23ª jornada da Liga de Honra, deixando assim fugir mais três pontos na corrida à tão desejada subida à Super Liga de futebol.

Aos seis minutos de jogo, o Santa Clara colocou-se em vantagem no marcador com Tiago Martins a converter uma grande penalidade, a castigar uma falta de Justiniano sobre Nuno Sociedade.

Estava feito aquele que seria o resultado final, uma vez que a equipa da Figueira da Foz, orientada por Tony Oliveira não demostrou ter argumentos para inverter o resultado.

A Naval jogou sem a criatividade da primeira metade do campeonato, falhou muitos passos e só através de alguns lances de bola parada consegui incomodar o guardião dos açorianos.

Aos 54 minutos de jogo, Abiodum podia ter igualado o marcador mas, o navalistas falhou, a poucos metros da baliza, não fez melhor do que rematar por cima, após um bom cruzamento da esquerda.

Este marcou ainda o regresso de Dani, após lesão. O guardião, aos 67 minutos, evitou aquele que poderia ter sido o segundo golo dos açoreanos ao defender um pontapé livre, marcado por Ronaldo.

Com esta derrota, os navalistas somam 36 pontos, os mesmos que o Penafiel (com 1 jogo menos), e estão no quarto posto da Liga. Contudo, esta posição está em risco uma vez que os mais directos adversários do momento – Penafiel e Salgueiros – jogam este domingo.

sexta-feira, fevereiro 20, 2004

Guardado continua à frente da Administração do Hospital Distrital


Guardado continua no Hospital da Figueira
foto in figueira.net

A crise directiva que se vive nas últimas semanas no Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) pode estar prestes a acabar. O JN sabe que o presidente da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), Fernando Andrade terá proposto à tutela os nomes de António Guardado, actual presidente do Conselho de Administração (CA) e do director clínico, José Couceiro, para integrarem o “novo” CA da unidade hospitalar.

A solução encontrada pela tutela para terminar com as divergências na direcção da unidade hospitalar passam pelo afastamento do administrador Victor Morais que se encontra em ruptura com António Guardado.

Esta manhã, em declarações aos jornalistas, António Guardado admitiu ter acedido ao convite de Fernando Andrande para continuar à frente do CA do HDFF. “Estou disponível para encontrar soluções para viabilizar esta instituição, tal como estava há uma ano atrás (altura em que tomou posse no CA a que preside)” disse António Guardado.

A decisão final está agora nas mãos dos accionistas maioritários - Ministério da Saúde e Ministério das Finanças - em reconduzir António Guardado à frente do CA, e nomear um novo gestor que ocupará o lugar de Vítor Morais, o que deverá acontecer na próxima reunião de accionistas.

Novo método de concurso pode trazer mais desempregados na classe docente



O Sindicato de Professores da Zona Centro (SPZC) está preocupado e “apreensivo” com o novo modelo único de candidatura de docentes que entra em vigor a partir do mês de Março.
Segundo esta estrutura sindical, com o novo método vem também mais docentes no desemprego. "Com o novo metodo de concurso, menos professores vão se contratados" disse, à Maiorca FM, Mário Jorge Silva, do SPZC.

o Sindicato considera "ser indispensável que toda a informação sobre o processo de candidatura esteja disponível e de fácil acesso, para que os procedimentos necessários possam decorrer dentro de um clima de serenidade, tão necessário à correcta tomada de decisões profissionais dos professores e educadores".

Mário Jorge Silva prevê que “mais 4 a 5 mil professores” vão ficar desempregados durante o próximo ano lectivo, juntando-se assim aos 30 mil docentes que se encontram, actualmente, sem trabalho.

Para fazer face a esta nova realidade, o Sindicato de Professores da Zona Centro deixa quatro propostas ao Governo. "Reforçar o apoio educativo às crianças até ao termo da escolaridade básica; Desenvolver o Ensino Profissional; Estabelecer novos modelos de Educação de Adultos; Fornecer aos licenciados, em grupos de docência saturados, uma formação complementar de reconversão para outros grupos ou actividades" são as soluções apontadas pelo sindicato.

Entretanto, o SPZC, de forma a combater o número de desempregados no sector, vai fazer “uma forte aposta” na formação na área multimédia.
O sindicato revela-se ainda “preocupado” com a taxa de abandono escolar até ao 9º ano de escolaridade, actualmente, na ordem dos 50%.

Directores do Hospital solidários com Guardado.


Hospital Distrital da Figueira
foto in O Figueirense

Os directores de serviço e de departamento do Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) ameaçam uma demissão, em bloco, solidarizando-se, assim, com o presidente do Conselho de Administração, António Guardado, que havia colocado o seu lugar à disposição, há poucos dias, em resultado das divergências que mantinha com o vogal executivo da Sociedade Anónima que gere o HDFF, Vítor Morais.

A decisão dos directores, que abrange os sectores clínico e administrativo/técnico, já foi comunicada à Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), conforme assegurou, ao JN, uma fonte daquela unidade hospitalar.

Contudo, de acordo com a mesma fonte, o presidente da ARSC ainda não se pronunciou sobre o problema que tem em mãos.

Aquando da demissão de António Guardado, o JN já havia apurado que o director clínico e o enfermeiro-director do HDFF estavam solidários com o presidente demissionário.

A tomada de posição agora anunciada, por "cobrirem" todas as áreas da gestão hospitalar, reforçam a posição de António Guardado e fragilizam ainda mais a posição de Vítor Morais.

quinta-feira, fevereiro 19, 2004

90% do concelho com saneamento básico até ao final do mandato autárquico


Ricardo Silva
foto in figueiradigital.com

A Câmara Municipal da Figueira da Foz já deu início à empreitada da rede de saneamento nas freguesias de Ferreira-a-Nova, Moinhos da Gândara e Santana.

Ao longo dos próximos dez meses, os lugares de Arneiro de Sazes, no Bom Sucesso; Ribas, Quinta dos Vigários e Cunhas, em Moinhos Gândara, Ferreira, Casal da Areia, Porto de Lamas e Porto Carvalho, em Ferreira-a-Nova, e Santana recebem os trabalhos de implementação da rede de saneamento prevendo-se que no horizonte de 40 anos venha a servir mais de 3 mil habitantes.

Com a realização destes trabalhos, que rondam os 2 milhões e 100 mil euros, Ferreira-a-Nova ficará servida com saneamento “a 80%”. Já Moinhos da Gândara e Santana “totalizam 100% de rede de saneamento”.

Com a conclusão destes trabalhos, o concelho chega ao fim deste mandato com o concelho coberto com rede de saneamento “na ordem dos 90%”. “Há seis apenas 30% do concelho estava contemplado com rede de saneamento. No final deste mandato autárquico chegamos aos 90%” disse, à Maiorca FM, Ricardo Silva, vereador das Águas e Saneamento Básico.

Três mil crianças participam no Carnaval Infantil



Cerca de três mil crianças vão passar hoje e amanhã pelo Pavilhão Galamba Marques, na Figueira da Foz, no decorrer do Carnaval Infantil, iniciativa promovida pela Câmara Municipal local junto das escolas do concelho.

Este ano, o certame mudou de figurino mudando do tradicional cortejo de rua para diversas iniciativas no pavilhão. “Atendendo às condições climatéricas que se fazem neste altura como o frio e a chuva resolvemos mudar o Carnaval Infantil para o pavilhão” disse Teresa Machado, vereadora da Educação.

O ponto alto da festa é atingido com a realização de uma Baile de Máscaras mas para além da componente de animação, estas festas servem também para despertar “comportamentos cívicos”. “As crianças convivem entre si, falam, mostram aquilo que aprendem nas aulas e partilham as suas experiências com as outras crianças” frisou Teresa Machado.

Figueira e New Bedford finalmente irmãs!


Figueira e New Bedford

A Câmara Municipal da Figueira da Foz deu “luz verde” para a geminação com New Bedford, nos Estados Unidos da América. O processo foi iniciado há cerca de 15 anos e em finais de Abril poderá finalmente ser concluído para alegria dos cerca de 2 mil figueirenses que residem naquela zona dos Estados Unidos.

O acordo surge pela comunidade figueirense residente em New Bedford maioritariamente constituída por pescadores e seus descendentes oriundos de Buarcos e Cova/Gala.

Do protocolo vão fazer acordos de cooperação nas áreas da cultura, educação e, provavelmente, comercial, tendo a autarquia convidado uma professora da Universidade de Coimbra, para elaborar projectos que perspectivem parcerias entre as duas cidades.

O vereador do PS, Rui Carvalheiro, apesar de concordar com esta geminação, alertou para a banalização deste tipo de acordos e mostrou-se mais aberto à ideia de “acordos pontuais” entre cidades.

O presidente da edilidade figueirense, o social-democrata Duarte Silva, explicou ao executivo que neste momento “se criou mais expectativa nos figueirenses do lado de lá do que do lado de cá”.

O acordo que será celebrado na semana após a Páscoa. Com esta geminação, eleva-se a sete o número de “cidades irmãs” da Figueira: Evpatória (Ucrânia), Mortágua, Angoche (Moçambique), Gradigan (França), Ciudad Rodrigo (Espanha) e Cidade da Praia (Cabo Verde). Nos horizontes da edilidade figueirense está ainda uma geminação com o Luxemburgo.

quarta-feira, fevereiro 18, 2004

PS e PSD às turras com "ganhos" dos reis do carnaval


Sofia Alves e António Cerdeira, reis na Figueira
Cartaz in figueiraturismo.com

A poucos dias do Carnaval, PS e PSD não se entendem quanto às verbas que, alegadamente, os actores Sofia Alves e António Cerdeira poderão ganhar no Carnaval da Figueira da Foz. Cerca de 15 mil euros (3 mil contos), é quanto cada um dos actores poderá receber pelos três dias que "reinarão" no carnaval de Buarcos, Figueira da Foz, um número que ainda não foi desmentido por ninguém.

Rui Carvalheiro interpelou o presidente Duarte Silva, ontem, na sessão do executivo, sobre as verbas que os reis vão usufruir. O socialista lembra que se vive em tempo de contenção, pelo que considera “imorais” as verbas a pagar ao reis do carnaval da Figueira.

“Em tempo de contenção onde, por exemplo, os funcionários da Administração Pública pelo segundo ano não vêem aumentos (os que ganham mais de mil euros mês) acho que esses valores, a confirmarem-se, são imorais” disse o socialista.

A ser verdade, os dois protagonistas da telenovela "O teu olhar" da TVI vão receber o dobro dos seus antecessores João Melo e Gisela Serrano que arrecadaram, cada um, 7500 euros, no carnaval figueirense do ano passado.

Duarte Silva disse que as críticas do PS não passam de “demagogia barata”. “Mais vale dizerem (PS) que não querem que se faça Carnaval. É isso?” questionou o edil, sem no entanto confirmar ou desmentir as verbas que Sofia Alves e António Cerdeira vem, eventualmente, ganhar ao carnaval figueirense.

Contactado pela Maiorca FM, o administrador- delegado da Empresa Municipal Figueira Grande Turismo (FGT), Nuno Encarnação, escusou-se a revelar a quantia a pagar aos dois actores mas garantiu que a "FGT não vai ultrapassar o orçamento (225 mil euros) que tem disponíveis para este carnaval".

Duarte Silva reafirma "inocência" na paragem dos trabalhos no Paço de Tavarede


Paço de Tavarede
foto in figueira.net

O presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz voltou a reclamar a “inocência” da autarquia figueirense quanto à paragem dos trabalhos do Paço de Tavarede.

Depois da notícia avançada pela Maiorca FM e por o JN, que dava conta de que os trabalhados estão parados por falta de pagamento à empresa que ganhou a adjudicação da obra, Duarte Silva, ontem, questionado pelo vereador do PS, Rui Carvalheiro, voltou a reafirmar que a recuperação do Paço parou por “incumprimento” da Edicon.

“As alterações que estamos a introduzir no projecto não teriam prejudicado o andamento dos trabalhos se, os mesmos a quem foram adjudicados, não entrassem em falta” reafirmou Duarte Silva.

No entender do autarca, a culpa da paragem das obras é “exclusivamente” do empreiteiro. Contudo, o edil figueirense não explica que incumprimentos são esses.

À Maiorca FM, fontes da Edicon revelaram que o empreiteiro abandonou os trabalhos pela “falta de liquidação da facturas enviadas à Câmara da Figueira” que, alegadamente, deve “alguns milhares de euros” à empresa e terá feito “uma dilatação de prazos para a execução dos autos e devolvido outras facturas”.

Segundo outra fonte da Edicon, em Maio de 2003, ano e meio após a adjudicação da obra, a Câmara ainda “não tinha o projecto do Paço concluído”, sendo introduzidas pela Câmara alterações e modificações o que levou também à “indignação” da empresa.

Ontem, na reunião do executivo, Duarte Silva sustentou que, face ao projecto anteriormente apresentado, “não há alterações significativas”.

terça-feira, fevereiro 17, 2004

Trabalhadores camarários reclamam pagamento de ajudas de custo


Trabalhadores querem respostas rápidas

Cerca de três dezenas de trabalhadores das oficinas da Câmara Municipal da Figueira da Foz (CMFF) marcaram, esta tarde, presença na reunião do executivo camarário para demostrarem a sua “indignação e revolta” face ao não pagamento de ajudas de custo, que vêm sendo requeridas desde março de 2003, na deslocação para os locais de trabalho.

Alguns dos funcionários foram transferidos das oficinas localizadas na Figueira e passaram para as “novas” instalações no Parque Industrial da Figueira, a sul do concelho.
Contudo, os serviços da autarquia consideram que “não se afigura suporte legal para o abono das ajudas de custo”.

“A justificação da autarquia não me parece válida de forma alguma. O pedido de ajuda dos trabalhadores está de acordo com a lei” disse, ao JN, Licínio Azedo, da Sindicato de Trabalhadores da Administração Local (STAL).

Os operários reclamam também melhores condições de higiene, balneários e um refeitório no local de trabalho. “Os trabalhadores não são bóias frias. Já passou o tempo de se comer com a marmita entre as pernas. Os trabalhadores tem de ter condições para comer uma refeição quente” sustentou Azedo.

Ao JN, a vereadora dos Recursos Humanos da CMFF, Anabela Gaspar garantiu que “a autarquia irá envidar todos os esforços para solucionar estas questões”. Caso não haja uma resposta breve da edilidade os trabalhadores prometem “partir para outras formas de contestação”.

Ginásio conquista ouro na natação


Andreia Montargil, de ouro, no pódio
foto in figueira.net

O Ginásio Clube Figueirense esteve este fim-de-semana representado no “Meeting Internacional do Estoril”, em natação tendo conquistado uma medalha de ouro, através da atleta Andreia Montargil, em 100 metros Livres. A ginasista conquistou o primeiro lugar do pódio ao fazer 1:05.39s na prova, tendo arrebatado o 1º lugar na competição.

O Meeting decorreu na piscina da Alapraia dos Bombeiros Voluntários do Estoril, com o apoio da Câmara Municipal de Cascais o IX Meeting Internacional do Estoril organizado pela Associação de Natação de Lisboa.

Estiveram presentes 50 clubes, incluindo 3 equipas espanholas, totalizando 426 atletas.
Esta competição destinou-se aos escalões de idade dos 12 aos 18 anos, que disputaram várias eliminatórias para apurar os 8 melhores atletas que tiveram acesso às finais por grupos de idades nos diferentes estilos.

Realizaram-se provas individuais de 100 metros bruços, costas, mariposa e livres, 200 metros estilos e estafetas mistas de 4x50 metros estilos.
O Ginásio Clube Figueirense participou nesta prova com 15 atletas, tendo tido quatro, participado em 5 finais:

- Solange Azevedo nas finais de 100mC - 1:11.63s alcançou o 6º lugar e a 100mL - 1:02.83 o 4ºlugar
- Patrícia Correia na final de 100mM - 1:09.60s ficou em 4º lugar
- Andreia Montargil na final de 100mL - 1:05.39s ficou em 1º lugar
- Diana Carrito na final de 100mC - 1:16.76s ficou em 7º lugar

Para a semana realizar-se-á o Torneio Nadador Especialista em Mira para parte da equipa do G.C.F., enquanto que 12 atletas irão entrar em estágio no Centro de Estágio de Rio Maior no dia 21 de Fevereiro.

segunda-feira, fevereiro 16, 2004

Naval a um ponto dos lugares da promoção


Naval bate Covilhã
foto in Diario de Coimbra

A Naval 1º de Maio venceu o Sporting da Covilhã por 2-1, ontem, no municipal Bento Pessoa, na Figueira da Foz, em jogo da 22ª jornada da Liga de Honra. Entraram melhor os navalistas, quartos classificados, que bateram o "aflito" Covilhã, por 2-1, com golos de Fernando e Anderson Luiz.

Tony Oliveira, treinador da Naval, considerou que a vitória da sua equipa "não deixou margem para dúvidas". "Foi uma vitória justa por o trabalho que a Naval fez na primeira parte" disse, à Maiorca FM, Tony Oliveira.

Com uma boa primeira parte os navalistas justificaram os três pontos, perante uma Covilhã “aflita” mas agressiva e determinada.
Anderson Luíz voltou a jogar e a fazer uma boa exibição. O ponta de lança deixa boas indicações. "Tem na Naval uma oportunidade de mostrar e de voltar a ser o jogador que foi quando chegou a Portugal" frisou Oliveira.

A equipa da Figueira da Foz e o Penafiel foram os grandes beneficiados da jornada 22, uma vez que reduziram para um ponto a diferença para a última posição de promoção à Superliga, ocupada pelo Vitória de Setúbal, que não foi além de um empate (1-1) na deslocação ao terreno do "lanterna vermelha" União da Madeira.

Tony Oliveira frisa novamente que pensa "domingo a domingo" mas não enjeita responsabilidades de subida à Super Liga "caso o desafio seja lançado".

O técnico admite que este último terço do campeonato vai ser uma autêntica guerra aos pontos, prevendo um desfecho de competição muito difícil. Na próxima jornada, a Naval desloca-se aos Açores para defrontar o Santa Clara.

Beach Boys animam feira de idosos


The Beach Boys

Cerca de “300 mil idosos” de todo o país e de alguns pontos da Europa, são aguardadas, em Setembro, na Figueira da Foz, na “1ª Feira Internacional do Idoso”. E a «cereja no cimo do bolo» será, em princípio, a presença da mítica banda norte-americana Beach Boys.

O JN soube, junto de fonte ligada à organização do certame, que a banda de “Surfin' USA," e de "California Girls", aproveitando uma série de concertos de verão em Portugal, poderá debitar o seu “surf-rock” da década de 60, no Estádio Municipal Bento Pessoa durante o “Festival de Verão Avós e Netos”, inserido na feira dedicada ao idoso. Contudo, ainda não há uma data definida para a actuação do grupo de Brian Wilson.

O certame para os seniores pretende discutir, debater e conhecer a realidade nacional e internacional em matéria de 3ª idade, tanto ao nível social como científico. As quatro principais áreas de discussão serão a Política de Saúde e de Segurança Social, Geriatria, Gerontogeriatria, Turismo, Lazer e Cultura.

“O objectivo principal do certame passa por escutar o cidadão idoso em relação a si mesmo e ao mundo que o rodeia, podendo-se expor, partilhar e debater os seus pontos de vista e problemas do dia-a-dia” disse, em conferência de imprensa, Guardado Carvalho do Grupo Resivida, entidade organizadora.

sábado, fevereiro 14, 2004

Jantar reacende polémica no hospital


António Guardado
foto in figueira.net

Centena e meia de funcionários do Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) e de entidades civis da cidade marcaram presença, ontem, no jantar de "apoio" a António Guardado, presidente do Conselho de Administração (CA) do hospital, que, recentemente, admitiu demitir-se após entrar em rota de colisão com o economista Vítor Morais, administrador do hospital, caso a tutela não alterasse o clima de "crispação" no CA.

As divergências podem mesmo levar a uma "alteração" na composição do CA. "Haverá desenvolvimentos para a semana ou o mais tardar até final do mês", afirmou Fernando Andrade, presidente da Administração Regional de Saúde do Centro.

Considerando a situação no CA do HDFF como "algo preocupante", Fernando Andrade referiu ser "no mínimo estranho" o jantar de solidariedade a António Guardado. "Um jantar de homenagem, nesta altura, é no mínimo estranho, porque ainda fracciona mais a administração. Não sei se é de homenagem ou se acaba por ser de despedida", disse.

Ao JN, um elemento da organização, que preferiu o anonimato, frisou que o jantar "não é de homenagem, antes de apoio". "Não há intenções políticas, queremos apenas mostrar o nosso carinho e afecto ao médico António Guardado neste momento difícil, independentemente do que acontecer daqui para a frente".

O Jornal de Notícias tentou obter declarações junto de Vítor Morais, que não quis tecer comentários. António Guardado não quis prestar declarações antes do jantar, reservando-se a fazê-las após o jantar.

Notícia in JN (com Lusa)

Elvis Costello na Figueira da Foz


Elvis Costello

O músico e compositor britânico Elvis Costello vai actuar no Centro de Artes e Espectáculos (CAE) da Figueira da Foz, no próximo dia 9 de Maio, depois de passar pelos Coliseus do Porto (7 maio) e Lisboa (8 Maio).

O britânico traz na bagagem o álbum “North”, editado no ano passado, bem como 25 anos de carreira onde adquiriu o reconhecimento de especialistas e do público.

Costello nasceu em Londres, Inglaterra, em 1954. Da sua discografia fazem parte trabalhos como “My Aim Is True”, “This Year’s Model” e “North”.

Com os seus trabalhos discográficos, Costello conquistou inúmeros prémios ao longo da carreira. Este ano, o músico está nomeado para os Óscares, na categoria de Melhor Canção Original, pelo tema “Scarlet Tide” (do filme “Cold Mountain”).

sexta-feira, fevereiro 13, 2004

Guerra jurídica na calha devido a espólio doado


Paço de Maiorca
foto in figueira.net

António Caetano, 76 anos, que doou, em 2002, à Câmara da Figueira da Foz, um espólio avaliado em cerca de meio milhão de euros para rechear o Paço de Maiorca, solicitou, agora, a sua devolução. Na base da decisão está a pretensão da autarquia em transformar o Paço, adquirido em 1999, num "hotel de charme".

O anúncio da edilidade deixou indignado o benemérito, que tomou conhecimento da decisão por terceiros. "Quero tirar as minhas coisas de lá para fora", disse.

O septuagenário recebeu, recentemente, uma carta na qual o presidente do município, Duarte Silva, explica a decisão da Câmara e revela que "desde que preside à Câmara, tinha a intenção de transformar o Paço num hotel de charme".

"É uma atitude premeditada. Ele já sabia o que ia fazer ao Paço quando entrou para a Câmara e não me disse nada. Deixou que eu assinasse o documento de doação do espólio", desabafou Caetano que, entretanto, também endereçou à Câmara uma missiva onde manifesta a intenção de reaver o espólio, por considerar que foi "desvirtuado" o contrato celebrado entre ambos.

Na escritura de doação de bens imóveis, assinada, a 22 de Julho de 2002, entre António Caetano e Duarte Silva, e a que o JN teve acesso, pode ler-se que "os bens objecto desta escritura são doados com o intuito de integrarem o património do Paço de Maiorca".

Em Julho de 1999, a autarquia comprou o Paço de Maiorca, por 800 mil euros, numa aposta "de descentralizar os investimentos do concelho". "A Figueira precisa de enriquecer o seu roteiro turístico-cultural", justificou, na altura, Santana Lopes, que reservou aquele espaço "à utilização cultural e serviço aos munícipes".

O presidente da Câmara não quis tecer grandes comentários sobre o assunto. "Não são questões para tratar na praça pública, mas o proprietário tem os seus direitos, tal como a Câmara", avisou Duarte Silva, deixando no ar de que pode estar iminente uma guerra judicial.

António Caetano está, também, disposto a recorrer à Justiça. "Se, até ao final de Março, a autarquia não o devolver, levo o caso a Tribunal", disse Caetano que, contudo, apela ao "bom senso" da edilidade, relembrando que Duarte Silva afirmou, ao JN, que "caso o proprietário não esteja de acordo (com as intenções da Câmara) é óbvio que tem todo o direito em retirar o espólio do Paço".

quinta-feira, fevereiro 12, 2004

Contenção pode inviabilizar construção do novo quartel da GNR de Maiorca



A construção do novo quartel da GNR de Maiorca, Figueira da Foz, pode estar comprometida devido à contenção económica do país. Apesar das “ muitas carências e das más condições” do espaço que actualmente serve de posto da GNR de Maiorca, o projecto do novo quartel poderá ficar na gaveta por “mais algum tempo”.

“Não tenho previsões para quando possa começar a construção do novo quartel” afirmou, ao JN, Joaquim dos Reis, Comandante da Brigada Territorial n.º 5 da GNR de Coimbra.

Para o militar a decisão está nas mãos do Estado. “Vamos esperar que o Governo central faça os seus estudos sobre planeamento, que vá acudindo às prioridades mais urgentes e a seu tempo chegará a oportunidade de execução do novo quartel de Maiorca” disse Joaquim dos Reis.

Contudo, o projecto, orçado em 750 mil euros, poderá não passar disso mesmo, uma vez que a tutela procede neste momento a uma reorganização dos dispositivos a nível nacional.

Segundo fonte ligada ao processo, há “muitas pressões”, para que o quartel de Maiorca seja transferido para a freguesia vizinha das Alhadas. “Neste momento não há nada sobre o problema da criação desse posto (Alhadas) para extinguir os outros dois postos (Maiorca e Quiaios)” garantiu Joaquim dos Reis.

Entretanto, o general efectuou, ontem, uma visita ao Palácio Conselheiro Branco, em Maiorca, local que, há 30 anos, serve de instalações provisórias ao quartel da GNR local, e constatou as condições “menos próprias” em que trabalham os agentes.

Atendendo a essa preocupação a Câmara Municipal construiu, em 2000, um pré-fabricado, orçado em 100 mil euros, para acolher a GNR de Maiorca, que continua por estrear. “Até ao final deste semestre a GNR de Maiorca ocupará esse pavilhão” revelou Joaquim dos Reis.

quarta-feira, fevereiro 11, 2004

Obras do Paço de Tavarede paradas há um ano. Empreiteiro alega falta de pagamento da Câmara, autarquia fala de “incumprimentos” da firma


Paço envolto em polémica
foto in figueira.net

As obras no Paço de Tavarede estão paradas há, sensivelmente, um ano. Os trabalhos de recuperação do monumento, orçados em um milhão de euros, foram entregues à firma Edicon, Lda em Setembro de 2001, com um prazo de execução de 540 dias.

Contudo, a empresa a quem foi adjudicada a empreitada deixou os trabalhos, pelo que a Câmara Municipal terá que lançar um novo concurso público. “O empreiteiro a quem foi adjudicada a obra faliu e terá que ser feito uma nova adjudicação. A autarquia não tem qualquer responsabilidade, na medida em que foi um acidente (do empreiteiro)” afirmou, ao JN, Duarte Silva, presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz.

A empresa de construção civil e obras públicas, sediada na Pontinha, Lisboa, desmente a afirmação de Duarte Silva quanto à falência da Edicon, Lda. “É mentira. A empresa não faliu mas corre o risco de entrar num processo de falência caso as entidades devedoras não cumpram com as responsabilidades” explicou, ao JN, Madalena Paz, sócia-gerente da Edicon, que no entanto não quis prestar mais declarações sobre o assunto.

Ao JN, outras fontes da firma revelaram que o empreiteiro abandonou os trabalhos pela “falta de liquidação da facturas enviadas à Câmara da Figueira”. “Ao longo de todo o processo a Câmara não cumpriu com as suas responsabilidades ao não pagar e ao devolver as facturas que a empresa apresentou” disse fonte da Edicon.

Ao que o JN apurou, a edilidade figueirense deve, alegadamente, “alguns milhares de euros” à empresa e terá feito “uma dilatação de prazos para a execução dos autos e devolvido outras facturas”. A situação obrigou, inclusive, a que a Edicon recorresse a um sactoring bancário para fazer face às despesas.

Segundo outra fonte da Edicon, em Maio de 2003, ano e meio após a adjudicação da obra, a Câmara ainda “não tinha o projecto do Paço concluído” o que levou também à “indignação” da empresa. “Já no decorrer das obras foram introduzidas pela Câmara alterações e modificações, o que fez com que a empresa tivesse mais gastos e a necessidade de ter mais tempo para realizar a obra” disse a mesma fonte.

Duarte Silva confrontado com as declarações mudou de discurso e admitiu que a autarquia devolveu as facturas que chegavam da empresa. Porquê? “Passou-se isso (a devolução de facturas) porque a empresa entrou em incumprimento para com a Câmara ao não fazer as obras tal como estavam programadas” disse Duarte Silva sem, contudo, avançar mais motivos para a falta de pagamentos.

O diferendo entre as duas entidades levou a que, em Outubro de 2003, a autarquia figueirense tivesse tomado posse administrativa das obras de recuperação do Paço de Tavarede. A rescisão do contrato entre o município e a empresa terá já sido consumada pelo que terá que ser aberto um novo concurso público para terminar os trabalhos no Paço.

O Partido Socialista local já reagiu a esta “contradição” de afirmações. A vereadora socialista, Natércia Crisanto mostrou-se “preocupada” com a situação. “O PS vai quer saber de quem é a culpa na paragem dos trabalhos e apurar responsabilidades junto dos culpados” disse, ao JN, a socialista.

De acordo com o projecto, a fachada do Paço de Tavarede vai ser restaurada, interiormente será salvaguardado tudo o que for possível e serão reconstruídos alguns elementos já desaparecidos.

Do Manuelino ao neo-manuelino

O Paço de Tavarede guarda uma parte importante da história do concelho da Figueira da Foz. Situado na Rua Violinda Medina, em Tavarede, o Paço foi construído durante o século XVI a mando de António Fernandes de Quadros, senhor de Buarcos e de Vila Verde, que instituiu o morgadio de Tavarede, de que era sede, mantendo aí residência.

Em pleno período Manuelino, o monumento possui planta composta, volumetria articulada, disposta horizontalmente a definir o espaço central.

Possui uma grande qualidade da intervenção neo-manuelina, com reminiscências da Torre de Belém e soluções decorativas interessantes. A fachada Oeste é também ela valorizada com estilo neo-manuelino, a nível planimétrico e decorativo, com motivos marítimos.

Polémica com segurança na restauração



A Associação de Hotelaria e Restauração do Centro (AHRC) está "indignada" com as palavras do delegado municipal de Protecção Civil (PC) da Figueira da Foz, por Lídio Lopes ter afirmado que os restaurantes e hotéis, bem como os seus funcionários "não estão preparados, nem formados, para responder em casos de emergência".

"Não estão na Figueira, nem em lugar nenhum do Mundo. Nem ninguém tem todas as normas em vigor de forma a anular qualquer tipo de sinistro", disse, ao JN, Lídio Lopes, sobre uma acção de formação que se realizou na cidade, ontem à tarde.

O delegado da PC considerou que "falta um comportamento adequado" aos estabelecimentos da Figueira no respeito à legislação. "Quem não tem (comportamento adequado)é fácil de encontrar, começa no norte do país e acaba-se no sul, passando também pela Figueira. Diria quase todos" frisou Lídio Lopes que defende "formação e sensibilização continuada" nas questões da segurança.

Estas declarações "incendiaram" os homens da hotelaria e restauração. Sousa Martins, presidente executivo da ARHC considerou "despropositadas" as declarações de Lídio Lopes.

"Parece-me que não conhecerá as atribuições e regras por que se rege este sector" acusou, ao JN, Sousa Martins sublinhando que "é preciso um licenciamento de segurança, devidamente aprovado, pelo Serviço Regional de Bombeiros, para que um estabelecimento abra as portas ao público".

Sousa Martins garantiu que "estão reunidas as condições necessárias para responder a eventuais emergências". "Não podemos cair em exageros. Não se pode querer que cada cozinheiro, cada empregado de mesa, seja maqueiro ou bombeiro" ironizou Sousa Martins.

Por seu lado, Mário Esteves, da delegação local da ARHC, defendeu que "não se podem meter todos os agentes no mesmo saco".

terça-feira, fevereiro 10, 2004

Naval já tem hino


logo in figueira.net

Estas notas do hino sagrado, no ensinam a ter devoção, e um amor acrisolado pela nossa associação”.
É com este verso que começa o hino oficial da Naval com a letra de António Augusto Esteves, música de Manuel Dias Soares e interpretação do tenor figueirense Luís Pinto. "Pretende-se instituir mais um marco histórico na vida do centenário clube figueirense" disse, à Maiorca FM, Luís Pinto.
O hino da Naval será apresentado esta tarde no municipal Bento Pessoa.

Vítor Cunha (PS) assume disponibilidade para a Câmara Municipal


Vítor Cunha diz estar disponivel
para a Câmara Municipal
foto in O Figueirense

O presidente da Comissão Política Concelhia do Partido Socialista (PS) da Figueira da Foz, Vítor Cunha está disponível para se candidatar à Câmara Municipal local nas autárquicas de 2005. Em declarações, à Maiorca FM, Vítor Cunha assumiu a disponibilidade para encabeçar uma lista à autarquia figueirense.

“Estou disponível se o partido assim o entender” disse Vítor Cunha que, contudo, garante o apoio total caso “surja outro nome com mais peso”.

O PS prepara já as autárquicas de 2005 e até Outubro deverá apresentar publicamente as listas às freguesias, à Câmara e à Assembleia Municipal.

Entretanto no passado domingo, realizou-se a tomada de posse das dez secções do PS no concelho que ajudarão a conhecer os problemas e preocupações das freguesias, bem como na escolha dos nomes que constarão das listas concorrentes aos diferentes órgãos do municipais.

O PS quer que até 2005 existam secções do partido nas as 18 freguesias do concelho. “Até ao final deste ano queremos ter mais uma quatro ou cinco secções. Até Às próximas autárquicas queremos secções em todas as freguesias do concelho” frisou Cunha.

E sobre as diversas matérias que preocupam os socialistas há uma que Vítor cunha gostaria de ver resolvida “urgentemente”. O Plano Director Municipal (PDM) tem 10 anos e está altamente ultrapassado, pelo que dever ser urgentemente revisto” defendeu Vítor Cunha.

Poetas encontram-se no seu dia mundial


Eugénio, Torga, Sophia
três vozes da portugalidade

Eugénio de Andrade, Miguel Torga e Sophia de Mello Breyner vão ser homenageados na Figueira da Foz no decorrer do “III Festa da Poesia”, no dia 21 de Março, Dia Mundial da Poesia. “Torga, Sophia, Eugénio – três vozes da portugalidade” é o tema do colóquio inserido na iniciativa também designada por “III Encontro de Poetas Portugueses” que terá lugar no Centro de Artes e Espectáculos (CAE) da Figueira da Foz.

As escolha dos nomes de “vulto” da literatura portuguesa surgiu “naturalmente”. “São três poetas de referência que marcaram a última metade do século passado. Neste colóquio serão discutidos os percursos e obras das três figueiras da poesia contemporânea” disse, ao JN, Luís Machado, organizador do certame.

A “Festa da Poesia” integra ainda uma mesa-redonda e um debate sobre a criação poética e recitais de poesia. O evento que contará com a presença de três dezenas de poetas de todo o país, tem por objectivo “divulgar a poesia e promover a descentralização cultural”. “A Cultura não está só nos grandes centros. É preciso é que surjam ideias e se façam iniciativas” sustentou Machado.

Contudo as restrições orçamentais também já atingiram o “Encontro de Poetas”, iniciativa orçada em 5 mil euros. “Nestes tempos de contenção, a cultura, infelizmente, é a primeira a sofrer com as restrições” lamentou Luís Machado que com “imaginação e criatividade” pretende ultrapassar as restrições financeiras.

Considerando que a mudança do evento do Palácio Sotto Mayor para o CAE “foi positiva” para a festa da poesia, Luís Machado espera que as pessoas adiram à iniciativa. “As pessoas tem aderido e a juventude nos últimos cinco anos tem-se aproximado da poesia. Isso nota-se na compra e na escrita de trabalhos” disse Machado.

A iniciativa conta com o apoio da Câmara Municipal, Figueira Grande Turismo, Casino da Figueira e Associação Portuguesa de Escritores.

segunda-feira, fevereiro 09, 2004

Ginásio leva basquetebol a Montemor


Ginásio Clube Figueirense

O Ginásio Clube Figueirense vai realizar cinco encontros da Liga Profissional de Basquetebol, em Montemor-o-Velho, ao abrigo de um protocolo assinado entre a Câmara Municipal local e o clube figueirense, no sentido de "divulgar e promover" o basquetebol na região.
Orlando Simões, treinador do Ginásio, disse, à Maiorca FM, que o acordo visa divulgar a modalidade junto da população mais jovem. "Vamos realizar várias iniciativas junto das escolas" disse o técnico.

O Ginásio vai levar a magia do basquetebol a Montemor, sendo que por cada jogo realizado, a formação ginasista irá receber da câmara local 1.250 euros. Para além das contrapartidas financeiras, o Ginásio cederá, a partir de 2007, o direito desportivo de participação na competição do Campeonato Nacional da 1.ª Divisão ou da 2.ª Divisão, a um clube montemorense. "É um protocolo interessante a nível nacional com o objectivo de divulgar e promover o basquetebol na região" considerou Simões.

O protocolo prevê que, na próxima época, a equipa ginasista receba da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho um subsídio de 4.000 euros, para ajudas de custo.
O protocolo que será posto em prática já na próxima quarta-feira, pelas 21H00, no Pavilhão Gimnodesportivo de Montemor-o-Velho, com o encontro Ginásio- FC Porto, para a Liga Profissional de Basquetebol.

domingo, fevereiro 08, 2004

Oposição contesta caché para os reis do carnaval


Rui Carvalheiro "contesta" verbas,
Nuno Encarnação não revela cachés

Os actores Sofia Alves e António Cerdeira poderão ganhar cerca de 15 mil euros (3 mil contos), cada um, pelos três dias que "reinarão" no carnaval de Buarcos, Figueira da Foz.
A ser verdade, os dois protagonistas da telenovela "O teu olhar" da TVI vão receber o dobro dos seus antecessores João Melo e Gisela Serrano que arrecadaram, cada um, 7500 euros, no carnaval figueirense do ano passado.

O Partido Socialista reagiu à notícia e considerou que os valores a pagar à "realeza" são "exagerados". "Números destes para um fim-de-semana de carnaval, significa uma afronta a todos os que vivem em contenção" disse, ao JN, Rui Carvalheiro, vereador do PS.

A confirmar-se o pagamento principesco dos reis do carnaval figueirense, o socialista recorda que "em jogo estará o erário público". "Com números destes, a boa gestão do erário publico está manifestamente posta de parte", acusou Carvalheiro.

O socialista criticou, ainda, o PSD. "Os mesmos que dizem que o país tem uma pesada herança de ter que fazer o Euro2004, permitem-se gastar em eventos de significado mais reduzido, proporcionalmente, muito mais", disse Rui Carvalheiro.

Entretanto, o presidente da Comissão Política Concelhia do PSD local, José Elísio, considera que as críticas do PS "não passam de acusações aéreas e sem qualquer fundamento".

Contactado pelo JN, o administrador.delegado da Empresa Municipal Figueira Grande Turismo (FGT), Nuno Encarnação, escusou-se a revelar a quantia a pagar aos dois actores, mas também não desmentiu as verbas avançadas pela imprensa.

"Quem primeiro tem que conhecer as contas da FGT é a Câmara e os seus vereadores, por isso, não vou comentar qualquer valor que adiantam por aí" disse, ao JN, Nuno Encarnação garantindo que a "FGT não vai ultrapassar o orçamento (225 mil euros) que tem disponíveis para este carnaval".

sábado, fevereiro 07, 2004

Ursula Rucker, David Byrne, Lloyd Cole: Trio de ouro no CAE



O segundo trimestre de 2004 será provavelmente, até hoje, o que trará ao Centro de Artes e Espectáculos (CAE) da Figueira da Foz os nomes mais sonantes que já passaram pela cidade da praia da Claridade.

Em Abril Ursula Rucker (dia 3) e David Byrne (dia 5) sobem ao grande auditório do CAE, em duas noites que prometem lotação esgotada.

Urbasnismo poético com Ursula Rucker

A cantora e poetisa de Filadélfia Ursula Rucker ficou conhecida depois de ter colaborado com alguns dos estetas da música electrónica como King Britt, Jazzanova, 4 Hero, Alexkid, Silent Poets ou The Roots.

Alguns destes nomes participaram no seu álbum de estreia “Supa Sista”, de 2001, um registo em que o edifício sonoro era pontuado pelo jazz, hip-hop, soul e drum & bass.

No centro das atenções estava a sua voz misteriosa e límpida, que soltava palavras que falavam de amor e perda, de luz e desencanto, numa tensão dramática constante.

Em 2003 lança o seu segundo álbum “Silver Or Lead”, e, de novo, faz-se acompanhar de nomes importantes das linguagens electrónicas como os reincidentes Jazzanova, 4 Hero, King Britt e The Roots, e ainda por Tim Motzer, Robert Yancey, The Society, The Mysterium e Lil’ Louie Vega, dos Masters at Work.

Este registo, povoado mais uma vez por ambientes jazzísticos, soul e ritmos inspirados no hip-hop (à excepção de “Release”, uma incursão afro-latina), a par de um discurso cantado feito de poesia humanista, vem confirmar Ursula Rucker como uma das figuras mais relevantes da música urbana.

Byrne conta “Histórias verdadeiras” no CAE

Nascido em 1952, em Dumbarton, Escócia, David Byrne ficou primeiramente conhecido como líder dos Talking Heads, formados em 1976, em Nova Iorque, com os quais gravaria até 1988 álbuns tão fundamentais como “Stop Making Sense” (1984), “Little Creatures” (1985), “True Stories” (1986) ou “Naked” (1988).

Durante este período, colaborou em diversos projectos com nomes como Brian Eno, Phillip Glass, Robert Wilson, Jonathan Demme ou Bernardo Bertolucci, para o qual escreveu em parceria com Ryuichi Sakamoto e Cong Su a banda sonora do filme “O Último Imperador”, vencedor do Óscar da Academia, em 1987, para Melhor Banda Sonora Original.

Já a solo, editou os álbuns “The Forest” (1988), banda sonora orquestral para uma peça de teatro de Robert Wilson; “Rei Momo” (1989), em colaboração com 15 dos melhores músicos latinos de Nova Iorque; “Uh-Oh” (1992), uma mistura de funk com ritmos latinos; “David Byrne” (1994); “Feelings” (1997); “The Visible Man” (1998); “Look Into The Eyeball” (2001); e “Lead Us Not Into Temptation” (2003), banda sonora do filme “Young Adam”, de David MacKenzie.

Este concerto, inserido na tournée “My Backwards Life”, irá apresentar os temas do novo álbum intitulado “Grown Backwards”, a editar em Março.

Espera-se igualmente que Byrne toque canções de outros álbuns, bem como os temas mais populares dos Talking Heads, e, quem sabe, “Lazy”, composto com os X-Press 2, que alcançou recentemente enorme êxito.

A acompanhá-lo estarão Paul Frazier, no baixo, Mauro Refosco, na percussão, e os The Tosca Strings, uma secção de cordas composta por seis elementos.

Lloyd Cole traz “música numa linguagem estrangeira”

O palco do grande auditório do CAE receberá, a 10 de Julho, o músico e compositor inglês Lloyd Cole, nascido em 1961, que começou a sua carreira com o grupo The Commotions, formados em 1982, em Glasgow, quando Cole estudava filosofia nesta universidade.

Em 1984 editaram o seu álbum de estreia “Rattlesnakes”, considerado pelo jornal New Musical Express como um dos 50 melhores álbuns da década de 80. Seguiram-se “Easy Pieces”, de 1985, e “Mainstream”, de 1988.

A partir de 1990, Lloyd Cole inicia a sua carreira a solo com um álbum homónimo, seguindo-se, um ano mais tarde, “Don’t Get Weird On Me, Babe”, um álbum mais ambicioso, pontuado pelos arranjos orquestrais de Paul Buckmaster (Elton John, Rolling Stones).

Em 1993 surge “Bad Vibes”, marcado pelo psicadelismo e pela electrónica, seguindo-se “Love Story”, de 1995, um retorno ao folk-rock do início da carreira com os The Commotions. Em 2000 edita “Lloyd Cole and The Negatives”, e no ano seguinte “Etc.”.

2003 é o ano do lançamento do seu sétimo álbum oficial a solo, “Music In a Foreign Language”, considerado o trabalho mais intimista da sua carreira. Um registo pautado por canções que revelam uma tristeza e melancolia nunca antes expressa, envolvidas por guitarras acústicas e subtis orquestrações.

Como convidados surgem Neil Clark, antigo membro dos The Commotions, Dave Derby, dos The Negatives, o cantor Ray Mason e a canadiana Lullaby Baxter. Um álbum que conta ainda com uma brilhante versão de “People Ain’t No Good”, de Nick Cave, e que constitui a definitiva consagração de um songwriter de eleição.

sexta-feira, fevereiro 06, 2004

"Futuro da Figueira está no turismo" defende Paulo Pereira Coelho


Paulo Pereira Coelho, líder da CCDRC

O ex-vice-presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, actualmente líder da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro (CCDRC), Paulo Pereira Coelho defende que “o futuro da Figueira está no turismo”. Em entrevista ao diário “As Beiras” o presidente da CCDRC considera que, enquanto membro do executivo camarário contribuiu “para deixar perfeitamente aberta a oportunidade da Figueira dar um salto qualitativo no que diz respeito àquilo que não pode deixar de ser o seu destino social e económico – que é o turismo”.

Na conversa conduzida pelos jornalistas Soares Rebelo e Eduarda Macário, o ex-vice-presidente da edilidade figueirense traçou um balanço “positivo” de dois anos de mandato. “(...) Faço um balanço positivo. É evidente que alguns dos projectos que tinha não os consegui levar até ao fim. Penso, no entanto, que a Figueira está bem entregue, que tem uma liderança que dificilmente conseguiria arranjar melhor dentro do quadro normal de recrutamento de lideranças para um concelho como aquele” afirmou Paulo Pereira Coelho.

O social-democrata não ter dúvidas de que, “até final deste mandato, vão aparecer novas infra-estruturas muito significativas na qualificação da Figueira como destino turístico” dando como exemplo “um hotel digno desse nome e que marcará a história da Figueira. O processo está em curso e vai ser concretizado” afirmou Pereira Coelho numa alusão directa ao projecto previsto para a Ponte do Galante.

Ainda falando sobre turismo, pasta que tutelou na autarquia figueirense, Paulo Pereira Coelho falou do projecto do golfe, previsto para a freguesia do Bom Sucesso. “É mais um projecto fundamental para o desenvolvimento da Figueira e da própria região Centro. Não se deve apostar apenas no turismo de massas, tem de apostar-se sobretudo no turismo de qualidade e são precisamente estes nichos de mercado que o hão-de determinar” disse, ao diário “As Beiras”, Pereira Coelho.

quinta-feira, fevereiro 05, 2004

José Costa defende melhores condições nos pavilhões desportivos e critica os "borlistas"


José Costa

Num artigo de opinião publicado, recentemente, no site da Liga de Clubes de Basquetebol, o capitão da equipa de basquetebol sénior do Ginásio Clube Figueirense defendeu melhores condições para os recintos deportivos nacionais. O Capitão da turma ginasista criticou ainda os adeptos "borlistas":

"Normalmente, em Portugal, todos os dirigentes se queixam da falta de público, o que eu considero o sexto jogador.

Ao longo da minha carreira desportiva, tive a oportunidade de conhecer outras realidades e, infelizmente, tenho que reconhecer que quase todas elas são superiores à nossa. Para isso vou falar da minha recente deslocação ao Luxemburgo.

Num pequeno país encontrei um complexo desportivo com vários pavilhões, piscinas, pista de tartan e um pavilhão secundário. Este pavilhão, onde se realizou o torneio, tinha capacidade para cerca de 600 pessoas, num espaço bem climatizado (na rua estavam cerca de 2 graus positivos e no interior as pessoas assistiam de t-shirt).

O recinto tinha saídas de emergência devidamente sinalizadas, acesso para deficientes e uma equipa de emergência médica pronta para qualquer tipo de eventualidade.

Depois de assistir a esta situação, compreendo a nossa desertificação. Na nossa realidade, salvo algumas excepções, não existem saídas de emergência, climatização, animação, capacidade de assistência médica para além da dos clubes, temos sim, escadas que são boas para quem tem problemas de mobilidade.

Como amante da modalidade, pergunto porque é que com o Europeu de Futebol são construídos dez novos estádios, enquanto que, no Mundial de Juniores de Basquetebol, não tenho o conhecimento da construção de qualquer pavilhão. Nesta situação apenas nos foi permitido utilizar o pavilhão multiusos.

Preocupa-me de alguma forma esta discrepância em relação ao que é designado modalidades amadoras e profissionais. Afinal não nos chamamos Liga Profissional de Basquetebol? Porquê demorar tanto na atribuição de instituição de utilidade pública?

Não é verdade que queremos promover o desporto em idades jovens? Como se pode pedir a uma criança de 8 ou 10 anos que venha treinar ao fim da tarde num Inverno rigoroso?

Ao colocar tanta questão achei que não podia deixar de colocar uma outra, dado a sua pertinência e actualidade: compreendendo a importância de levar o desporto ao interior, não compreendo, no entanto, a exagerada e não estruturada construção de Elefantes Brancos”. Ou seja, recintos que não são utilizados.

Porque não aproveitar fundos para melhorar as condições em pavilhões já existentes e que apresentam as lacunas supracitadas. Ou sendo eles construídos, que o sejam de forma racional e não despesista, por vezes, procura-se a quantidade em detrimento da qualidade.

Para terminar, a denegrir o Sexto jogador… está a figura do borlista. Esta figura, quando tem um convite vai assistir o jogo sem se preocupar com factos acessórios. A saber, não há frio, nem calor, alguns não percebem o jogo… mas se tiver de pagar fica em casa a ver a novela. Isso preocupa-me, mas também não é destes que escrevo, porque os verdadeiros adeptos do Basquetebol devem procurar, e merecem ter condições, para assistir à sua segunda modalidade desportiva, praticada a nível nacional".


Artigo in LCB - Liga de Clubes de Basquetebol

Ginásio está nos Açores à conquista da Taça da Liga


José Costa de regresso à competição

O Ginásio Clube Figueirense já está em Angra do Heroísmo, nos Açores, onde participa na XV edição da Taça da Liga Rodi, em basquetebol.

Os ginasistas defrontam o FC Porto, esta noite, às 19h45, na primeira jornada da competição que fica completa com o jogo OvarenseCAB Madeira.

O Ginásio reconhece o valor do Porto, mas o treinador da equipa figueirense não teme os nortenhos e está “disposto a dar tudo por tudo” para seguir em frente na competição. “Estamos na pole position do basquetebol e apesar do Porto ser favorito, vamos fazer tudo por tudo para vencer” garantiu, à Maiorca FM, Orlando Simões.

No continente, Orlando Simões apenas deixou Rodrigo Mascarenhas, ainda a recuperar de lesão. “O jogador ainda está a recuperar. Para a Taça da Liga já posso contar com José Costa, embora ainda não a 100%” disse Simões.

A presença na Taça da Liga é “importante” para o Ginásio. “A competição é considerada um ponto alto do basquetebol nacional e o Ginásio quer conquistar um pleno de presenças nas competições nacionais na presente temporada” revelou Orlando Simões.

Um morto e quatro feridos graves, balanço acidente no IC1 junto às celuloses


Acidente causou um morto e quatro feridos
foto de arquivo

Um morto e quatro feridos com gravidade é o balanço de um acidente ocorrido, esta manhã, às 7.02, no IC1, no sentido norte/sul, no cruzamento junto às indústrias de celulose, na Figueira da Foz.
O sinistro envolveu um veículo ligeiro e uma carrinha de transporte de pessoal.

A Maiorca FM apurou, junto de fonte dos Bombeiros Municipais, que o acidente terá sido provocado por uma “manobra perigosa” do veículo ligeiro que vinha da Celbi e que embateu violentamente numa carrinha de transporte de pessoal que seguia da Figueira da Foz para Leiria.

Contudo, o nevoeiro que se fazia sentir na altura do sinistro poderá ter dificultado a visão ao automobilista que acabou por abalroar a carrinha da qual o morto e os feridos eram os ocupantes.

No local compareceram os Bombeiros, o INEM e a PSP.