domingo, novembro 30, 2003

Ginásio perde em Belém

O Ginásio Clube Figueirense (GCF) foi derrotado, este sábado, pelo Belenenses em partida da 10ª jornada da Liga de Clubes de Basquetebol. O Ginásio perdeu por apenas dois pontos (94-92), com José Costa a ser o melhor marcador da turma figueirense com 27 pontos.
o lituano, Singaras Tribe regressado de uma lesão ficou-se pelo 7 pontos marcados.

Com esta derrota os pupilos de Orlando Simões somam 50% de eficácia -5 vitórias, 5 derrotas- estando no sexto lugar da tabela classificativa da LCB.
Na próxima jornada o Ginásio vai ao terreno da sempre difícil Ovarense.

Gatos reunidos em Campeonato do Mundo

Portugal vai realizar o Campeonato Mundial de Gatos em 2008. No total são esperados mais de oitocentos felinos que vão concorrer ao título de “Melhor Gato do Mundo”, numa competição que arrasta centenas de pessoas dos cinco continentes. A decisão foi revelada, ao JN, por João Noronha, presidente do Clube Português de Felinicultura (CPF) no decorrer da 2ª Exposição Internacional de Gatos da Figueira da Foz que, hoje, chega ao fim.

A Comissão Internacional de Exposições de Gatos tinha em cima da mesa três candidaturas (Hungria, Rússia e Portugal) acabando a escolha por recair no país de Camões. “Foi uma batalha árdua que travámos e ganhámos” desabafou, ao JN, João Noronha.
O local para a realização do certame ainda não foi escolhido, estando tudo “dependente dos apoios que forem dados à iniciativa”. “Nós sozinhos não podemos entrar numa organização dessas” referiu o presidente do CPF.

A Figueira da Foz é uma candidata a recepção da iniciativa, sendo que a organização do campeonato “vai endereçar propostas a todas as autarquias, do país, onde normalmente se as exposições de gatos”. “Naturalmente que seria um passo interessante e importante, para a promoção da Figueira, apoiar este evento” disse, ao JN, Nuno Encarnação da empresa municipal Figueira Grande Turismo (FGT).

Ao contrário daquilo que se pensa, os gatos são “dependentes” dos seus donos. “Os gatos não são tão independentes como se diz”, referiu João Noronha, considerando os felinos “amigos, espertos e com uma personalidade muito forte”.

Portugal é conhecido pelo grande número de abandono de animais, em especial em períodos de férias, o que se torna “uma grande preocupação”. Contudo, o português tem vindo a educar-se na forma de tratar os animais, mas “isso ainda não chega”. “Infelizmente há muitos maus tratos ao gatos e é preciso educar as pessoas que os felinos são animais de carecem de atenção e cuidados. Não são um brinquedo de horas”, disse João Noronha.

Centena e meia de gatos de 16 raças diferentes, marcaram presença na Figueira da Foz, na mostra do Clube Português de Felinicultura. O clube, actualmente com 1400 sócios, fundado em 1985, é o detentor do “Livro de Origens Português”. O objectivo principal passa pela a protecção das raças felinas, principalmente as diferentes espécies de gatos.
Tem por objectivo orientar e estabelecer regras para o melhoramento da criação de gatos, fomentando o apuramento das diversas raças, divulgando-as no seu todo, quer morfológico, quer temperamental.

sábado, novembro 29, 2003

Parabéns, Mário Silva!

O pintor Mário Silva está, este sábado, de parabéns ao festejar os 74 anos de vida, 47 dos quais dedicados Às artes. Esta sexta-feira à noite, o artista juntou, num jantar, cerca de oito dezenas de amigos e bem ao seu estilo comemorou a passagem de mais um aniversário.

Sempre surpreendente, Mário Silva avançou com a proposta de criação da “Fundação Mário Silva”, com o objectivo de promover e divulgar a arte no eixo Figueira/Montemor/Coimbra.
A ideia foi bem encarada pelos autarcas presentes. Duarte Silva, presidente da Câmara da Figueira afirmou que a ideia “é interessante”. "Vamos, em conjunto com os outros municípios, avaliar o protocolo. Tudo o que seja fomentar a cultura é do interesse da Câmara" afirmou, aos jornalistas, Duarte Silva.

Para o autarca de Montemor-o-Velho, Luís Leal para além das condições geográficas que ligam os três municípios "há também uma forte ligação cultural", pelo que Luís Leal encara com bons olhos a constituição da “Fundação Mário Silva”. "Mário é uma persona extremamente grata, com rasgos artísticos impressionantes”, afirmou.

Apesar de convidado, o presidente da Câmara municipal de Coimbra, Carlos Encarnação não pode estar presente por motivos pessoais.

Quanto ao aniversariante, Mário Silva estava radiante e sensibilizado pelo afecto e carinho demostrado pelos seus amigos. "Estou sensibilizado e a nível cultural falta-me apenas a constituição da fundação", referiu.

Mário Silva que no próximo dia 7 de dezembro será um dos convidados de Herman José na SIC, onde irá apresentar um “Pai Natal Mário Silva”.

Rotary apela à "reposição de valores dentro da actividade profissional"

O Rotary Club da Figueira da Foz recebeu a visita de Rui Amandi, Governador do Distrito Rotário 1970. A visita teve por objectivo divulgar a mensagem do presidente do Rotary Internacional para o ano rotário e entregar o suporte ao clube para que este mantenha alguma das suas actividades.

Sob o lema “Dê a mão ao próximo”, a mensagem passa pela "reposição de valores dentro da actividade profissional, estar atento às comunidades onde o Rotary está inserido e por serviços à juventude".

Iniciado em 1905, em Chicago, nos Estados Unidos, o movimento rotário está hoje em 166 países. A dois anos do centenário o clube de serviço prepara já as comemorações dos 100 anos de existência."É uma data marcante que será celebrada com diversas iniciativas". Uma delas passará, de forma simbólica, com a passagem de um sino por todos os distrito rotários do mundo.

Uma das grandes metas do Rotary Internacional passa pela erradicação da poliomielite até 2005. Contudo, e apesar deste ano, até Agosto, terem sido vacinadas 500 milhões de crianças, Rui Amandi diz que o prazo "não irá ser cumprido". "Há vontades estranhas as do clube" justificou.

Na Figueira da Foz, o Rotary Club local continua bem activo. Em Dezembro, o clube de serviço vai realizar uma palestra sobre medidas de segurança a tomar no transporte de crianças nos automóveis.
Em Janeiro, vai entregar os diplomas de honra aos melhores alunos das três escolas secundárias do concelho.

Naval na Madeira à conquista de três pontos

A Naval 1º de Maio já está na Madeira, onde este Domingo, pelas 16h00, defrontará a União da Madeira, em partida da 12ª jornada da Liga de Honra. Os navalistas vem de uma vitória frente ao Chaves e encontram-se no terceiro posto da tabela classificativa com 21 pontos.

A turma da Figueira da Foz aguarda dificuldades mas, o técnico Tony Oliveira quer “discutir o jogo até ao fim”. “Com trabalho e empenho podemos ultrapassar a União da Madeira” afirmou o técnico.

Para esta partida frente aos madeirenses, Nelson Veiga continua de fora e Fajardo regressa aos relvados.
O União da Madeira – Naval, este domingo, às 16h00, conta com transmissão em directo, aqui, na sua Maiorca FM.

Quanto ao próximo adversário na Taça de Portugal, o treinador navalista diz que o Vitória de Guimarães “é uma equipa de respeito”. “É uma das grandes equipas da Super Liga mas a Naval não vai à cidade Berço para prestar vassalagem” garantiu Tony.

sexta-feira, novembro 28, 2003

GNR continua em Maiorca

O Governo e o Comando Geral da Guarda Nacional Republicana (GNR) parecem ter chegado a acordo quanto à continuidade das instalações daquela força de segurança em Maiorca, na Figueira da Foz. Segundo fonte ligada ao processo, depois de “muitas pressões”, no passado, para que o mesmo fosse transferido para a freguesia vizinha das Alhadas, o Posto da GNR vai mesmo continuar em Maiorca.

Ao que o JN apurou, o Comandante da Brigada Territorial de Coimbra da GNR, Major Dias Rosa reuniu, anteontem à noite, com o presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Duarte Silva, a quem anunciou a decisão da GNR.
Com a permanência da força militar em Maiorca poderá ter sido dado um passo em frente rumo à construção do novo quartel da GNR na localidade. O posto daquela força militar continua, provisoriamente (há 30 anos), no Palácio Conselheiro Branco, espaço que “não oferece as melhores condições de trabalho aos agentes”.

Atendendo a essa preocupação a Câmara Municipal construiu, em 2000, um pré-fabricado para acolher a GNR de Maiorca, que continua por estrear. Orçado em 100 mil euros, o pré-fabricado está fechado há certa de dois anos, sendo já visíveis os sinais exteriores de degradação. “A autarquia vê com bons olhos que seja feita essa transferência, porque fizemos um investimento nas instalações que agora estão degradadas”, disse, ao JN, Duarte Silva.

Um dos motivos que impedia que a GNR fosse para o pré-fabricado prendia-se com a inexistência de um local para a recolha e estacionamento das viaturas militares. “Será feito o que é exigido para a recolha das viaturas. É uma obra extremamente simples e que não será impeditiva da concretização dessa transferência” garantiu o autarca.

O JN sabe que a transferência do posto da GNR do Palácio para o pré-fabricado poderá ocorrer até ao final do ano, aguardando a publicação, em Diário da República, da continuidade daquela força militar em Maiorca.

O presidente da junta de freguesia de Maiorca, José Ligeiro vê com bons olhos a decisão do Comando Geral da GNR mas, salienta que “o ideal é a construção em definitivo de um quartel de raiz” para a qual já existe projecto.
A obra já esteve inscrita em Programa de Investimentos e Despesas de Desenvolvimento da Administração Central (PIDDAC) mas, no programa de 2004, a construção do quartel não vem referenciada. “Não considero que seja um passo atrás na intenção de construir as instalações. Sabemos a situação económico-financeira que o país atravessa e o Governo escolhe as suas prioridades”, desabafou José Ligeiro.
A obra de construção do novo quartel da GNR de Maiorca está orçada em cerca de 750 mil euros.

Netinho “sacode” a Figueira

O brasileiro Netinho é o cabeça de cartaz da passagem de ano 2003/04 da Figueira da Foz, num programa que fica ainda completo com uma “House Percussion Party” e um espectáculo piro-musical que prometem transformar a festa num “sucesso”.

Direccionado para as camadas mais jovens, a programação “é ambiciosa” e segue uma linha de continuidade das edições anteriores. “Esperamos que a passagem de ano seja um sucesso como nos anos anteriores” disse, ao JN, Nuno Encarnação, Administrador delegado da Figueira Grande Turismo (FGT), entidade organizadora das festividades.

Para o responsável da FGT esta passagem de ano “vai trazer benefícios para a região e para a cidade, do ponto de vista turístico e económico”. “Vai ser uma noite bem longa onde todos vão ficar a ganhar” disse Nuno Encarnação admitindo que a organização “aguarda a presença de 30 mil pessoas”.

Mas para que a festa seja um êxito total “é preciso que S. Pedro ajude e afaste a chuva”. Esse é pelo menos o desejo de Duarte Silva, presidente da autarquia figueirense. "(...) Para ver se a Figueira entra com o pé direito em 2004", disse o autarca na apresentção do programa.

A noite “mágica” começará cerca das 22h00, na Avenida 25 de Abril, com a prestação de um Dj/Speaker, acentuada pela actuação de dois percussionistas.
Como estrutura de apoio será montada uma tenda, com 90 metros de comprimento por 10 de largura, capaz de acolher cerca de 4000 pessoas, “precavendo qualquer possível intempérie”.

Depois das doze baladas, à meia-noite, do primeiro dia de Janeiro, atinge-se um dos pontos altos com o espectáculo piro-musical. “É um conto pictórico sobre o imaginário e o fascínio do Fogo” revelou a organização.
O espectáculo terá a duração de 20 minutos e uma frente de fogo de 150 metros, que estará localizada no areal, em frente á Piscina de Mar, sendo constituída por 23 postos de lançamento que vão “efectuar 11800 disparos, numa vasta panóplia de cores”.

Netinho promete “sacudir as hostes” na noite longa da Figueira, onde o brasileiro se irá apresentar com um conceito diferente ao do trio-elétrico, mas este é um espectáculo que promete “trazer todo o espírito de festa e vivacidade” para um final de ano.
O investimento global para as festividades da passagem de ano orçam os 350 mil euros.

"I Sarau Cultural" com lotação esgotada

A Associação das Colectividades do Concelho da Figueira da Foz (ACCFF) leva a efeito, amanhã, o “I Sarau Cultural”, no Centro de Artes e Espectáculos (CAE) da Figueira da Foz. O espectáculo, já com lotação esgotada, tem como finalidade a solidariedade social com donativos a reverter a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da cidade.

Azenha Gomes, presidente da ACCFF, afirma que a primeira etapa "está vencida" aos estarem lotados os 800 lugares do Grande Auditório do CAE. "Agora falta vencer outra etapa: angariar donativos para os bombeiros voluntários" afirmou, à Maiorca FM, Azenha Gomes.

No intervalo do espectáculo cada um será “convidado” a deixar os seus donativos num cofre próprio disponibilizado para o efeito. "Estou confiante que cada um possa levar uns trocadinhos afim de colaborar com os bombeiros voluntários da cidade" disse o dirigente.

O presidente dos Voluntários da Figueira, Lídio Lopes já tem destino a dar às verbas angariadas. A Associação Humanitária precisa de uma ambulância que custa cerca de 75 mil euros. "É uma ambulância medicalizada, orçada em 75 mil euros, quer permitirá aos bombeiros cobrir a área de doentes intra-hospitalar", afirmou.

O Espectáculo, amanhã, tem inicio marcado para as 21h30, no Grande Auditório do CAE.
Segundo Azenha Gomes devido ao sucesso deste primeiro sarau, a Associação de Colectividades equaciona já a realização de uma segunda edição a reverter a favor de outra instituição.

Casino pode ajudar Sporting Figueirense a "encontrar" nova sede

O Sporting Clube Figueirense e o Casino da Figueira renovaram, ontem, o protocolo existente desde há vários anos entre as duas instituições, que visa o apoio da empresa ao basquetebol júnior do Clube.
À beira da comemoração dos 85 anos de vida, já no próximo dia 1 de dezembro, o Sporting continua à espera de uma “prendinha” chamada sede. "Continuamos à espera mas existe uma luzinha" revelou a presidente do Clube, Graça Nelas.

O Sporting continua a sonhar com uma sede "condigna" com a sua, já longa, história. A sede poderá nascer no “edifício Estádio” junto ao municipal Bento Pessoa, mas todo o processo está dependente da transferência do local de “espaço de parqueamento” para “área de serviços”.

Questionado sobre a possibilidade do Casino da Figueira apoiar o Clube Figueirense na questão da sede, Fernando Maia, director de Markting do Casino, deixou a promessa de apoiar o Sporting “dentro das possibilidades”.

Fundado a 1 de Dezembro de 1918, o clube vai comemorar o seu 85.º aniversário, no próximo dia 1 de Dezembro, pelas 13 horas, com o tradicional almoço de aniversário, a ter lugar na Adega Praia, em Buarcos.

A 6 de Dezembro terá lugar a sessão solene comemorativa do aniversário, na Assembleia Figueirense. A 20 de Dezembro, o Sporting vai realizar a tradicional festa natalícia denominada “Grande Festa de Natal do Sportinguista Figueirense”.

Naval viaja à cidade berço

A Naval 1º de Maio vai defrontar o Vitória de Guimarães na quinta eliminatória da Taça de Portugal, agendada para 17 de Dezembro.
O sorteio foi realizado, ontem, em Lisboa e ditou os seguintes encontros:
V. Guimarães- Naval,
Académica- Benfica,
U. Leiria-Marítimo
Rio Ave-Beira Mar,
FC Porto-Maia
Sporting-V. Setúbal,
Nacional da Madeira-Salgueiros
P. Ferreira-Portimonense,
Belenenses-Penafiel
Sanjoanense-Moreirense,
Felgueiras-Vilafranquense
Estoril Praia-Leça,
Marco-Pedrouços,
Santo António-Cinfães

Isento nesta quinta eliminatória está o Sporting de Braga.

quinta-feira, novembro 27, 2003

Morreu Coelho Neto

Faleceu o conhecido empresário Coelho Neto. Natural do Louriçal, onde nasceu há 72 anos, Coelho Neto faleceu prematuramente, anteontem de madrugada, durante o sono.
Coelho Neto, era proprietário de uma empresa de construção civil e obras públicas na freguesia da Marinha das Ondas.
O empresário ficou também conhecido pelas incompatibilidades com o anterior presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Santana Lopes sobre quem lançou um livro intitulado “Pedro Santana Lopes – O iluminado”.

Farol do Cabo Mondego como “base de apoio” à Universidade de Coimbra

A Universidade de Coimbra (UC) poderá ter, já no próximo ano, uma Base Regular de Funcionamento na Figueira da Foz. O reitor da UC, Seabra Santos manifestou esse desejo que “ligará a Universidade e a autarquia figueirense ao nível da investigação científica e cultural” com a possibilidade da realização de outras iniciativas como colóquios ou conferências.

A base servirá, essencialmente, para prestar apoio logístico “às inúmeras actividades de investigação científica que a UC realiza na Figueira da Foz, no Estuário do Rio Mondego e na zona das praias do concelho”. “Essa base logística seria extremamente vantajosa porque evitaria a necessidade de transportar com regularidade todo o equipamento que precisamos ter à nossa disposição aqui na Figueira” afirmou, ao JN, Seabra Santos.

O presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz (CMFF), Duarte Silva revelou, ao JN, que há uma ideia que está a ser “analisada por técnicos e professores da universidade” que passa pela “utilização do Farol do Cabo Mondego”.

Apesar do Farol estar sob tutela da Marinha portuguesa isso poderá não constituir problema às intenções da edilidade figueirense e da universidade coimbrã. Segundo o autarca, a Marinha portuguesa “também tem interesse em envolver entidades (por exemplo autarquias) na conservação de edificações que têm a seu cargo”. “Há aqui uma vontade tripartida” afirmou Duarte Silva.

Unidade de Cuidados Continuados poderá nascer na antiga Casa da Mãe

O Hospital Distrital da Figueira da Foz (HDFF) poderá avançar com uma proposta para a criação de uma parceria com a Câmara Municipal e com a Misericórdia- Obra da Figueira afim de criar uma unidade de cuidados continuados, na antiga Casa da Mãe.

O estado de degradação é bem evidente e António Guardado afirmou à Maiorca FM que é necessário arranjar uma solução que “salve” o imóvel. Segundo o presidente do Conselho de Administração do Hospital, uma das hipóteses passará por um “aproveitamento de cinergias entre hospital, Câmara e Misericórdia na área dos cuidados continuados”. "O país está carente desse tipo de cuidados e penso que poderá ser essa uma boa solução para a Casa da Mãe" frisou, à Maiorca FM, António Guardado.

Os contactos com a diversas entidades são, para já, meramente "informais". António guardado garantiu, À Maiorca FM, que “se a parceria não for para a frente, o hospital pode avançar sozinho”.
"Fora de questão" está mesmo a venda do imóvel. "A administração do hospital não tem intenção de vender a Casa da Mãe" garante António Guardado.

Em 2002, a autarquia manifestou o interesse em adquirir o imóvel e segundo a Maiorca FM apurou a Câmara Municipal continua com a mesma pretensão, o que poderá inviabilizar a parceria neste projecto do hospital.

Desassoreamento da zona do Cabelo precisa-se, alerta partiu do Comandante da Brigada Fiscal

A Brigada Fiscal (BF) "pretende o desassoreamento da zona do Cabelo", onde aquela força de segurança tem o cais de atracagem para a sua LVI (Lancha de Vigilância e Intervenção) que opera na Figueira.
A preocupação foi manifestada, ontem, pelo Major-General Soares da Motta, comandante da Brigada Fiscal, no decorrer da apresentação, pública, do Destacamento Marítimo da Brigada Fiscal da Figueira.

A operar desde o passado mês de Outubro a LVI está, actualmente, atracada na Doca de Recreio da Figueira, um local com “limitações e dependente das marés” considera Soares da Motta.
O militar manifestou-se, no entanto, “contente” por ver completada em PIDDAC de 2004 uma verba exclusivamente destinada ao serviço de manutenção de lanchas e outros componentes marítimos.

Na apresentação do Destacamento Marítimo da Figueira, Jorge Caseiro referiu que as LVI "são meios com grandes potencialidades para intervir em mar" e que permitem à BF "uma maior acção interventiva no mar".

O destacamento é composto por quatro dezenas de militares. Contudo, ainda faltam vinte elementos para completar o quadro orgânico do Destacamento Marítimo da Figueira da Foz que opera na costa compreendida entre Espinho e Foz do Arelho num total de 100 milhas, sensivelmente 185 quilómetros de costa.

S.Julião entrega prémios escolares

A junta de freguesia de S.Julião procedeu, ontem, à entrega dos prémios escolares aos melhores alunos do ano lectivo 2002/03, das escolas secundárias Cristina Torres, Joaquim de Carvalho e escola EB 2/3 João de Barros.
Os prémios pretendem ser uma "motivação e incentivo aos estudantes". "Para que se tornem, no próximo ano, melhor do que aqueles que venceram este" disse Gil Ferreira, presidente da Junta de Freguesia de S.Julião.

A cerimónia de entrega das onze distinções aconteceu, ontem ao final da tarde, no Pequeno Auditório do Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz, na presença de pais, encarregados de educação e professores.

Para a Vereadora da Educação Teresa Machado, a iniciativa da junta é "louvável", contudo a autarca mostra-se reticente em relação aos quadros de excelência. "Estas iniciativas são louváveis e um incentivo aos nossos jovens para que sintam que só com aplicação e conhecimentos profundos é que conseguiram um futuro razoável" afirmou a autarca.

quarta-feira, novembro 26, 2003

Câmara Municipal e Universidade de Coimbra assinam protocolos

A Câmara da Figueira da Foz e a Universidade de Coimbra formalizaram, ontem, um protocolo com vista o protocolo à elaboração de um Plano Director para a Ilha da Morraceira e procederam à assinatura de três acordos-programa para a elaboração da carta educativa, de equipamentos desportivos e sociais para o concelho.

Quanto ao Plano Director para a Morraceira, orçado em 45 mil euros, este deverá estar pronto dentro de cinco meses e deverá apontar para a intenção de promover as actividades “turísticas e recreativas, nomeadamente, o eco-turismo, agro-turismo e turismo cultural”, através da “valorização e divulgação das actividades tradicionais como a exploração do sal, a pesca e a caça”.

O reitor da Universidade de Coimbra (UC) , Seabra Santos sustentou que a assinatura do protocolo, o primeiro trabalho do Gabinete de Apoio à Transferências do Saber da UC, vai “marcar a contribuição da Universidade para o desenvolvimento do Município da Figueira”.
Seabra Santos anunciou, ainda que para “breve”, a criação de uma “base regular de funcionamento” da Universidade de Coimbra na Figueira da Foz.

Por seu lado, o presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, Duarte Silva referiu que a assinatura dos protocolos tem dois significados imediatos. “Perseguir soluções modernas e a escolha do melhor parceiro para a realização destes estudos” referiu Duarte Silva que quer promover e dinamizar a oferta turística da Ilha da Morraceira “com qualidade ambiental, cultural e histórica através de um projecto que ficará mais facilitado com o apoio do Gabinete de Apoio à Transferências do Saber da UC”.

Concurso literário promove S.Julião

No âmbito das “Festa do Patrono”, a junta de freguesia de S. Julião está a promover um concurso literário que pretende dar “a conhecer o patrono da freguesia”, sede do concelho, e ao mesmo tempo “despertar, nas crianças, o gosto pela leitura”.

Ao concurso podem concorrer todas as crianças das escola do 1º ciclo do ensino básico, da rede oficial e privada, do concelho. “Queremos incentivar à escrita, à pesquisa e à descoberta do patrono da freguesia de S.Julião” disse, à Maiorca FM, Gil Ferreira, autarca de S.Julião.

Os trabalhos deverão ser entregues na junta até 16 de dezembro e serão, posteriormente, expostos entre 5 e 19 de Janeiro, na Assembleia Figueirense.

Gil Ferreira sem quer adiantar muito sobre os festejos de 2004 revelou que a junta “está dependente da cedência de sala no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira” para definir na totalidade o programa.

A realizar 9 e 10 de Janeiro próximo, os festejos serão basicamente idênticos aos do ano passado, com a realização de uma procissão, a iluminação da igreja matriz de S.Julião e a atribuição de cabazes de natal às famílias mais carenciadas da freguesia. Um investimento total de 2500 euros.

Sarau solidário com Bombeiros Voluntários

A Associação das Colectividades do Concelho da Figueira da Foz (ACCFF) vai levar a efeito o “I Sarau Cultural”, este Sábado, no Centro de Artes e Espectáculos (CAE) da Figueira da Foz. O espectáculo tem como finalidade a solidariedade social com donativos a reverter a favor da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da cidade.

Primeiramente o espectáculo estava pensado para angariar verbas para as vítimas dos incêndios do verão passado. Contudo e depois do governo ter arranjado verbas através de fundos comunitários, a Associação resolveu oferecer os donativos aos voluntários da Figueira. “Vamos ajudar uma instituição que está sempre pronta a ajudar os outros” referiu, à Maiorca FM, Azenha Gomes, presidente da ACCFF.

O espectáculo com entrada livre conta já lotação esgotada.
No intervalo do espectáculo cada um será “convidado” a deixar os seus donativos num cofre próprio disponibilizado para o efeito. “Cada um, voluntariamente, ajudará os Bombeiros Voluntários da cidade com o que quiser” frisou o dirigente associativo.

O Espectáculo tem inicio marcado para as 21h30, sábado, no Grande Auditório do CAE. “Poderá ser o primeiro de outros” concluiu Azenha Gomes.

SIT: Centenário à vista

“Mas hoje a festa em Tavarede é outra. A SIT faz cem anos e é preciso festejar”. Esta é uma das passagens de “Marcha do Centenário”, uma das peças de teatro que vai assinalar a passagem dos 100 anos da Sociedade Instrução Tavaredense (SIT).
Sediada na freguesia de Tavarede, Figueira da Foz, a SIT prepara “cuidadosamente” os festejos do centenário que se prolongarão ao longo de 2004 prometendo “marcar”, tanto para a SIT como para aquela freguesia urbana do concelho. “Vai ser um ano em cheio para a colectividade” sustentou, ao JN, Rosa Paz, presidente da colectividade.

A partir do próximo mês de Janeiro, a SIT vai começar a comemorar o centenário da colectividade com iniciativas que vão desde ao teatro, palestras, exposições, música, o lançamento do livro do centenário. O programa do centenário começou a ser preparado há dois anos e segundo Ilda Simões, da SIT é “rico culturalmente” e acima de tudo “ambicioso”. “Esperamos que a cidade saiba responder“ afirmou Ilda Simões da SIT.

Fundada em 15 de Janeiro de 1904, a SIT é uma associação essencialmente “destinada à instrução e educação das classes populares", diz-se no artigo 1.º dos Estatutos. E o artigo 3º dispõe: "Como elementos educativos e de recreio, terá uma biblioteca e gabinete de leitura e utilizará o seu teatro, mantendo uma secção dramática".
E de facto, o teatro é a “essência” da SIT cujo grupo cénico é composto por cinquenta elementos. “Aqui o teatro transpira por todo o lado” referiu, orgulhosa, Rosa Paz.

Na acta de fundação, os catorze homens que tiveram a iniciativa, deixaram exarado que os propósitos da Sociedade passam por "sustentar uma escola para ensino dos sócios que dela queiram utilizar-se e para ensino dos filhos destes". Durante todos os anos em que exerceu a sua actividade, teve sempre uma frequência média superior a 45/50 alunos. “A escola acabaria por fechar, em 1940, por imposição do Governo” contou a presidente da colectividade.
O sócio Simões Baltazar contou, ao JN, que a explicação para a imposição governamental “foi o fruto da perseguição política ao mestre José Ribeiro”. Para além de encenador de teatro na SIT, cargo que ocupou durante seis décadas, o mestre José Ribeiro foi também jornalista e político. E era exactamente aí que residia toda a polémica. “José Ribeiro era contra a política do Estado Novo, daí ser alvo de perseguição política”, contou Simões Baltazar.

O futuro da SIT passa pela “forte aposta” na formação teatral. “É uma forma de cativar os jovens para colaborarem no teatro e serve, essencialmente, para um melhor desenvolvimento da vertente teatral” justificou Rosa Paz que garantiu que “o próximo ano será um ano ambicioso e arrojado ao nível de projectos”.


PERFIL PRESIDENTE:

Nome: Rosa Paz
Idade: 34
Profissão: Advogada

Presidente da colectividade desde 1998, Rosa Paz entrou, ainda muito nova, para o associativismo para participar no coro do teatro. “A partir dessa altura fiquei para sempre ligada ao teatro”, recordou a dirigente que se considera uma pessoa “ambiciosa q.b. e muito flexível”.
Não pensa em recandidatar-se à liderança da SIT. Considera que já fez o seu trabalho. “É hora de dar lugar a sangue novo” sustentou com a noção de que “não será difícil encontrar alguém que pegue no trabalho da colectividade”. “Na SIT o associativismo está vivo, por isso não será difícil” garantiu, ao JN, Rosa Paz.

A Sociedade Instrução Tavaredense (SIT) está sediada na freguesia de Tavarede. O povoamento, iniciou-se antes do século XII pensando-se mesmo que remonta à Pré-história. Tavarede é ainda conhecida por “Terra do Limonete”, uma designação que advém de uma lenda do cavaleiro e da moura encantada.
A SIT conta actualmente com 700 sócios e com mais de mil representações teatrais por palco de todo o país.
Quanto a Tavarede tem como Orago: São Martinho e uma população de 5.600 habitantes.
Comércio a grosso, agricultura e indústria de plásticos são as principais actividades económicas da freguesia.

Assoreamento do rio preocupa estaleiros

O problema não é novo mas, a cada dia que passa, está a agravar-se. O assoreamento do braço sul do Rio Mondego continua a “preocupar” a Administração dos Estaleiros da NavalFoz. “Corremos o risco de não puder satisfazer as encomendas que temos em carteira” disse, ao JN, Carlos Bandeira, da NavalFoz.

Confrontado com esta preocupação, o administrador delegado do Instituto Portuário e de Transportes Marítimos (IPTM) local adiantou que no PIDDAC de 2004 “está contemplada uma verbas para dragagens”. “O IPTM vai a seu tempo fazer uma dragagem ao local” garantiu, ao JN, Joaquim de Sousa.

As declarações dos dois responsáveis foram feitas à margem do “Bota-Abaixo” da embarcação “Avô Rato”, de 41 metros (a maior construída no estaleiro figueirense), orçada em 3 milhões de euros e construída com as mais “modernas e avançadas tecnologias do mundo”.

A NavalFoz, direccionada para a construção naval, é desde há três anos, um caso de sucesso no país e no estrangeiro, com a carteira de encomendas cheia até 2007.

terça-feira, novembro 25, 2003

Material médico vai para Centro de Saúde de Buarcos

Os equipamentos adquiridos pelos médicos da Figueira da Foz, condenados em Maio de 2002, por corrupção não vão, afinal, somente para as extensões de saúde do concelho como tinha sido sentenciado pelo Tribunal da Figueira da Foz. O JN apurou junto de fonte ligada ao processo que a Administração Regional de Saúde do Centro (ASRC) pediu ao tribunal um requerimento “para que fosse autorizado que o material clínico fosse também para o Centro de Saúde”.

A resposta do Tribunal da Figueira da Foz chegou há dois meses com o requerimento da ARSC a ser “deferido favoravelmente” pelo juiz do tribunal figueirense. Assim, o “grosso” do material clínico, no valor aproximadamente de 40 mil euros, vai ser instalado no Centro de Saúde da Figueira uma vez que, segundo Fernando Andrade, presidente da ARSC, “não se justificava que o material nesse valor fosse para as extensões de saúde”.

Na altura, o tribunal decidiu-se pela indemnização às extensões de saúde, já que, ao longo do processo, foi referenciada “a escassez de meios auxiliares de diagnóstico” nas extensões. Dessa forma os médicos poderiam beneficiar de pena suspensa, indemnizando as suas extensões em valores de 20 mil, 15 mil e quatro mil euros, consoante a pena de cadeia.

“O valor que está implicado na sentença é uma verba superior àquilo que as extensões necessitam” disse, ao JN, Fernando Andrade que revelou ter sido pedido ao Centro e a Sub-Região de Saúde que “designassem o material a ser entregue no Centro de Saúde”.

Fernando Andrade considera que a decisão do tribunal foi a mais acertada pois “não se justificava que o material fosse só aplicado nas extensões”. “Estaríamos a aplicar esse dinheiro em material supérfluo e iríamos fugir à decisão do juiz, desadequado e desvirtuando a sua decisão de empregar bem esse material em favor dos doentes” disse Andrade.

Para o presidente da ARSC, a nova decisão do tribunal “não vem levantar nenhum tipo de problemas”, até porque, garante a Administração Regional de Saúde “está a cumprir rigorosamente a decisão judicial”.
Contudo, a pretensão da ARSC, deferida favoravelmente pelo tribunal, não agradou aos presidente de junta de duas das três freguesias onde as extensões de saúde foram lesadas.

A sentença do caso dos médicos foi “uma decisão correcta”, mas quem deve ser ressarcido são “as extensões prejudicadas”. “Em condições normais quem deveria ser ressarcido são as extensões de saúde lesadas. O material deveria vir directamente para Maiorca”, disse, ao JN, José Ligeiro, o autarca de Maiorca para quem a “justiça por vezes é uma injustiça”.

A freguesia das Alhadas foi a mais “lesada”, já que dois dos quatro clínicos julgados no “Caso dos Médicos” exerciam na extensão de saúde daquela freguesia. Para o autarca local, Jorge Oliveira a notícia “não é boa”. “Esta extensão foi das mais prejudicadas neste caso” afirmou o autarca que há longos anos reclama “mais condições e uma nova extensão de saúde”.

Fonte do Centro de Saúde de Figueira da Foz – Buarcos não quis comentar a decisão do tribunal apenas lamentando que para além do quadro de pessoal ser “manifestamente deficitário”, o Centro de Saúde da Figueira da Foz tem somente “quinze auxiliares para todo o Centro” composto por duas dezenas de extensões de saúde.

Entre a listagem do material adquirido estão medidores de tensão, Estetoscópios, Electrocardiógrafos, Ecógrafos, entre outro material clínico, médico-cirurgico e de electromedicina.
Quanto a prazos para a entrega do material não há ainda uma data definida pela ARSC.

Sport Clube de Lavos pede ajuda à Câmara

O Sport Clube de Lavos realizou, no passado sábado, um jantar com o intuito de angariar fundos para as obras na sede da colectividade, fundada em 1920.
A estrutura da sede está em avançado estado de degradação e o piso do pavilhão desportivo, já com 25 anos, também oferece problemas como contou, à Maiorca FM, Carlos Palhais, presidente do Sport Clube de Lavos.

As obras vão orçar os 240 mil euros pelo que o Sport Clube de Lavos se candidatou a fundos comunitários, de onde já conseguiu uma verba de 116 mil euros para a colectividade.
Para uma segunda candidatura é preciso que o Clube confirme as entidades financeiras que apoiarão no resto da verba que falta, cerca de 125 mil euros.

Para angariar verbas, o Sport Clube de Lavos tem feito espectáculos e, ontem, reuniu com a Câmara Municipal afim de solicitar um apoio financeiro.

Em declarações à Maiorca FM, o vereador das Colectividades, Martins de Oliveira afirmou que "a autarquia vai ajudar conforme as possibilidades", pelo que a edilidade aguarda pelo ofício do Sport Clube de Lavos que posteriormente será analisado".

Naval Foz em festa, "Avô Rato" vai ser lançado esta tarde

Os estaleiros da Naval Foz, hoje, palco para mais um bota-abaixo. Mas este não é um bota-abaixo qualquer, uma vez que à águas é lançada a maior embarcação alguma vez feita naquele estaleiro figueirense.
“Avô Rato” é um navio polivalente com 41 metros de comprimento, que se destina a operar com artes selectivas no Mar Indico e Atlântico Sul. O investimento de cerca de 3 milhões de euros é apoiado por verbas nacionais e comunitárias.

Na Naval foz hoje é dia de festa. Carlos Bandeira, administrador do estaleiro salienta que a embarcação foi construída com as "mais modernas tecnologias do mundo".
Os estaleiros da Naval foz, desactivados até há cerca de 3 anos e meio, navegam hoje em águas calmas. O segredo do sucesso passa pelo “know-how” de Carlos Bandeira e Juan Andrés, sócios-gerentes da Naval Foz, estaleiros que tem a carteira de encomendas cheia até 2007.

A Naval Foz, praticamente direccionada para a construção naval, procura agora novos mercados como França, Espanha, Marrocos e Argélia. Carlos Bandeira revelou, em exclusivo, à Maiorca FM, que "já existem negociações com armadores da Figueira da Foz para a renovação da frota pesqueira figueirense". "Uma frota de resto envelhecida" afirmou o empresário.
A cerimónia de bota-abaixo do “Avô Rato” conta com a presença de Luís Frazão Gomes, Secretário de Estado-adjunto e das Pescas.

segunda-feira, novembro 24, 2003

Naval continua na festa da Taça de Portugal

A Naval 1º de Maio segue em frente na Taça de Portugal depois da vitória, ontem, frente ao Leixões por 2-0, em jogo da 4ª eliminatória da competição. Os pupilos de Tony Oliveira, depois de uma primeira parte sem grandes momentos de futebol, entraram melhor nos segundos 45 minutos e marcaram dois golos que permitem à equipa continuar na Festa da Taça.
Rui Duarte e Samson foram os marcadores de serviço. Tony disse, à Maiorca FM, que na segunda parte a sua equipa “foi atrevida e determinada à procura da vitória”.

Nelson Veiga, a cumprir um jogo de suspensão, foi substituído por Bispo que “concentrado deu equilíbrio defensivo à equipa”. “Temos um plantel no qual deposito toda a confiança. O Bispo esteve à altura” afirmou o técnico.

Quanto ao próximo adversário na Taça, Tony aguarda “serenamente” pelo sorteio de quinta-feira, mas admite quer “um adversário que proporcione à Naval a passagem à próxima eliminatória da Taça de Portugal”.
O técnico da Naval não demostra preferência por qualquer adversário e já pensa na próxima jornada da Liga de Honra onde os navalistas deslocam-se à Madeira para defrontar o União da Madeira.

À partida para a jornada 12 da Liga de Honra, os navalistas estão em terceiro lugar com 21 pontos, menos quatro que o líder Estoril.

Público afasta Rita Marques da Operação Triunfo II

Rita Marques foi afastada na Operação Triunfo II, programa da RTP1. A jovem figueirense foi, ontem à noite, afastada da escola de música da Operação ao recolher 47,1% da votação do público, no confronto directo com o participante do Algarve, Dino que recolheu 52,9% da preferência do público.

Fernando Marques disse à Maiorca FM que a saída filha o deixou um pouco “desapontado por a Rita não ter feito todo o percurso”. “Não fiquei triste, só um pouco desapontado”, disse.

As constantes nomeações “poderão ter influenciado” a prestação de Rita Marques, nomeada pela quarta vez consecutiva. “Gostei da sua interpretação e do comportamento que teve ao longo da sua participação no programa” afirmou Fernando Marques que acredita que com a participação da Rita na Operação Triunfo “lhe poderão ser abertas algumas portas no mundo da música”.

Rita Marques, de 25 anos, vai continuar ainda na escola mais esta semana, existindo ainda uma réstia de esperança já que no próximo domingo um dos concorrentes já excluídos poderá regressar à escola da Operação Triunfo.

VATECA quer escola de futebol, Junta de freguesia apoia

A Associação Desportiva Cultural e Recreativa VATECA celebra este fim-de-semana as bodas de prata ao comemorar os 25 anos de existência. A colectividade sediada no Paião tem actualmente 350 sócios e tem no desporto, na formação e na cultura as suas maiores actividades.

Na passagem do 25º aniversário da VATECA, Paulo Pinto, presidente da direcção tem uma grande preocupação. No final de 2003 o dirigente termina o seu mandato e teme um vazio eleitoral. “Temo que não haja ninguém para dar continuidade aos nossos projectos e estou preocupado com os 10 mil euros que faltam pagar nas recentes obras da sede, inagurada no ano passado” afirmou o dirigente.

A novas obras orçam os 22 mil euros, que acrescem aos 110 mil que custou a sede, e passam pela construção de uma cozinha e uma sala multiusos que, segundo Paulo Pinto, poderão apoiar iniciativas de sócios e de apoio a acção social estando a ser equacionada a possibilidade da criação de um centro de dia.
O futuro da colectividade passa também por uma escola de futebol que em breve poderá ser uma realidade”. “Contamos com o apoio da junta para levar para a frente esse projecto” afirmou Paulo Pinto.

Contactado pela Maiorca FM, o presidente da junta de freguesia do Paião, José Canas confirmou que “será assinado um protocolo entre a junta e a VATECA para que a escola de futebol seja uma realidade”. Do protocolo a assinar deverão constar a constituição da escola de futebol e a utilização, da VATECA, do campo de futebol da freguesia. Um protocolo que deverá, segundo José Canas, ser assinado durante a próxima semana.

Manuel Antunes distinguido na Figueira

O Director do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) Manuel Antunes viu, mais uma vez, o reconhecimento pelo trabalho que ao longo dos ano tem desempenhado na III Gala Anual do Círculo de Amigos de Cardiotorácica do HUC, realizada sábado à noite no Casino da Figueira. Perante meio milhar de participantes na Gala, foram distinguidas, pela primeira vez, personalidades e entidades que “mais se evidenciaram pela causa e objectivos da Associação e pelo próprio serviço, dirigido por Manuel Antunes”.

Analisando o estado actual da saúde portuguesa, o Director do SCC diz que ainda “há muito a fazer”, uma situação que “não pode ser modificada através de decretos-lei”, mas sim “através da mudança de atitude do cidadão e das entidades com responsabilidades na saúde”. Para Manuel Antunes “é preciso que Portugal mude de mentalidade se quer ter uma saúde ao nível europeu”.

Os premiados pelo Círculo de Amigos de Cardiotorácica do HUC foram:
Trofeu Mérito: entregue a três profissionais do serviço de cirurgia dos HUC
Trofeu Dedicação: entregue a Luís Roseira (principal dinamizador do Círculo), Jorge Loureiro (presidente cessante do Círculo) e Luís Fernandes (Tesoureiro da associação)
Trofeu Benemérito do Ano: entregue a António Serranos (empresário)
Trofeu Comunicação Social: Diário “As Beiras” e RTP1
Trofeu Prestígio Especial: Manuel Antunes (Director do director do SCC dos HUC)


Opiniões sobre Manuel Antunes:

Duarte Silva, pres. da CM Figueira da Foz: “É uma pessoa extraordinária, pela qual tenho uma grande admiração, com provas dadas na forma como tem vindo a gerir os serviços da sua responsabilidade”.

Carlos Encarnação, pres. CM Coimbra: “É uma referência da cirurgia. É uma pessoa difícil de igualar com resultados excelentes em Portugal. É um símbolo da medicina e da cirurgia da cidade de Coimbra e do país”

Manuel Rebanda, vereador da CM Coimbra: “É uma pessoa com uma dedicação extrema à sua profissão e aos doentes que trata. É uma personalidade que demostrou que é possível fazer boa saúde em Portugal”

Paulo Pereira Coelho, presidente da CCDR: “É uma referência da excelência da região centro e penso que é um motivo de orgulho para a região poder contar com da qualidade prestado por toda a equipa, superiormente comandada pelo Dr. Manuel Antunes”


Região Centro ganha transplantes de coração

Os Hospitais da Universidade de Coimbra (HUC) já podem efectuar transplantes de coração. Depois do Porto, no Hospital de São João e, em Lisboa, no Hospital de Santa Marta e Santa Cruz, já foi dado início ao programa de transplantações, em Coimbra, no Serviço de Cirurgia Cardiotorácica dos HUC. Ao que o JN apurou o serviço entrou em funcionamento há duas semanas, contudo, a “falta de doadores compatíveis” ainda não proporcionou aquele que será o primeiro transplante de coração feito em hospitais da região centro do país.

A equipa do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica (SCC) dos HUC “está tecnicamente preparada” para efectuar o primeiro transplante de coração. “Não é como substituir uma válvula que se vai à prateleira e escolhe a que quiser. Estamos à espera de um coração para fazer a primeira transplantação”, disse, ao JN, Manuel Antunes, director do SCC dos HUC que acredita que “a qualquer momento poderá acontecer o primeiro transplante”.

Muito exigente tecnicamente, o transplante de coração, requer “instalações e espaços suficientes”, o que “não acontecia nas antigas instalações”. Oito anos depois entre a concessão e a construção, o novo Centro de Cirurgia Cardiotorácica, em funcionamento há um ano e situado ao lado do edifício central do HUC, é considerado o “espaço adequado”. “Estávamos em instalações muitíssimo apertadas e iniciar ali um programa de transplantação poderia poder em risco o resto do programa”, explicou Manuel Antunes.

Os transplantes ao coração vão corresponder a cerca de 2% da actividade do Serviço de Cirurgia Cardiotorácica (uma relação de 20 em 1500 doentes). “De qualquer forma é importante para a região centro porque os nossos doentes que estavam À espera não tinham remédio para a sua doença e agora passam a ter”, afirmou o clínico.

Conhecido pelo rigor e brio profissional e, especialmente, por o seu serviço não ter listas de espera, Manuel Antunes confessa-se “satisfeito” com o desempenho da equipa que o acompanha. “Em Dezembro atingiremos as 20 mil operações em 15 anos de trabalhos. Penso que é um resultado satisfatório” frisou Antunes.

O médico quer continuar a manter os seus serviços sem listas de espera. “Demorámos este tempo todo a implementar este programa de transplantação para que não se comprometesse o programa de cirurgia cardíaca geral. É um ponto de honra que continuemos sem listas de espera” salientou Manuel Antunes que quer agora “consolidar os ganhos tidos até aqui em prol da saúde”.

Com este novo serviço nos HUC concretiza-se “um ciclo e sonho” assente em três projectos: Ausência de listas de espera, construção das novas instalações e início ao programa de transplantações. “Realizei o meu projecto global para este serviço e para o HUC”, desabafou Manuel Antunes.

Analisando o estado actual da saúde portuguesa, o Director do director do SCC diz que ainda “há muito a fazer”, uma situação que “não pode ser modificada através de decretos-lei”, mas sim “através da mudança de atitude do cidadão e das entidades com responsabilidades na saúde”. Para Manuel Antunes “é preciso que Portugal mude de mentalidade se quer ter uma saúde ao nível europeu”.

Jornalista lança livro de contos

"Estórias d'Aquém e d'Além Mar” é o título do livro lançado, ontem, pelo antigo jornalista da Antena 1, em Coimbra. Este é um trabalho literário com quinze contos em que a “ficção se cruza com registos do real”. “Pretendo atingir lúdico e agradar ao leitor” disse, ao JN, Saraiva Coutinho.

A acção dos contos decorre entre Angola, Brasil, Coimbra e a Figueira da Foz. “São terras ligadas ao palco da minha vida” contou o jornalista para quem a escrita é, agora, “o farol da vida”. O jornalista que trabalha já na preparação de um romance e um livro sobre a actividade jornalística radiofónica.

Aos 56 anos, Saraiva Coutinho guarda muitas histórias para contar. À Maiorca FM, Saraiva Coutinho confessou "já sentir a falta do frenesim próprio do jornalismo". "O não ter um dia igual, não ter horários", desabafa o jornalista, revelando que entrar na situação de pré-reforma foi "um choque… um confronto com a realidade".
O primeiro trabalho literário de Saraiva Coutinho, "Estórias d'Aquém e d'Além Mar” foi, ontem, lançado no Casino da Figueira com a presença de muitos amigos e colegas de profissão.

sábado, novembro 22, 2003

Recolha de sangue no Caras Direitas

Integrada no programa de aniversário do Grupo Caras Direitas, realizou-se, hoje, uma recolha de sangue, em colaboração com o Instituto Português do Sangue - Centro regional do Sangue de Coimbra.
A iniciativa que decorreu sob o tema "Um Gesto Seu Pode Salvar Uma Vida" contou com uma adesão de 20 pessoas.

Segundo Maria de Lurdes, vice-presidente para a Área Associativa e Desenvolvimento Social do Caras, a iniciativa contou com "uma maior adesão do que em anos anteriores", contudo, a dirigente lamenta que "mais sócios e a população de Buarcos não tenha respondido ao apelo da colectividade". "Uma interrogação para a não tenho resposta" afirmou à Maiorca FM.

A recolha de sangue inseriu-se no programa de aniversário do Grupo Caras Direitas, uma forma de demostrar que os aniversários "não servem só para festas". "É uma forma de realizarmos iniciativas de utilidade para a população em tempo de aniversário". O Caras Direitas que no próximo dia 1 de Dezembro comemora 96 anos de vida.

Ginásio vence Aveiro Basket

O Ginásio Clube Figueirense venceu o Aveiro Basket por 69-58, quinta-feira à noite, no pavilhão Galamba Marques, na Figueira da Foz. Com a vitória e o resultado os ginasistas anularam a diferença de cinco pontos frente aos aveirenses, onde joga o ex-Ginásio Kevin Flecther.

Orlando Simões, treinador do Ginásio considerou a vitória "justa" pelo desempenho da sua equip+a ao longo de 35 minutos de jogo. "Nos últimos cinco minutos a equipa não foi tão ofensiva quanto gostaria que fosse" confessou, à Maiorca FM, Orlando Simões.

Do lado do Aveiro Basket, o norte-americano Kevin Flecther esteve imparável com 19 pontos e 13 ressaltos. Pelo Ginásio, o norte-americano Frederick Gentry com 18 pontos, 11 ressaltos foi o melhor marcador da turma figueirense.

Contudo, Orlando Simões destacou o jogo do lituano Dainius Staugaitis. "Um jogador que o público figueirense não aprecia muito. É um jogador que as pessoas apreciam pouco pela sua forma de jogar mas que tem uma capacidade de trabalho incrível e que demostra um grande espiríto de equipa" afirmou o técnico.

O Clube Figueirense está agora com 55.56% de eficácia com 5 vitórias e quatro derrotas na presente temporada da Liga de Clubes de Basquetebol.


Festas de N. Sr.ª da Encarnação terminam com saldo positivo

4690 euros foi o saldo positivo com que terminaram as festas de N. Sr.ª da Encarnação em Buarcos.
A Comissão da Festa procedeu a apresentação das contas referentes às festividades de 2003.
Para o presidente da Junta de Freguesia de Buarcos, Álvaro Soares, o resultado é “bastante satisfatório” e o autacara revelou que as verbas serão agora canalizadas "para as obras de beneficiação da capela de N. Sr.ª da Encarnação", trabalhos já iniciados e que orçam os 20 mil euros.

Álvaro Soares lançou ainda o repto à Comissão para que "prossiga por mais um ano". "Fizeram um bom trabalho pelo que penso que deveriam continuar na Comissão" disse, à Maiorca FM, Álvaro Soares

A Comissão aceitou o repto lançado pelo autarca e fica por mais um ano na organização das Festas de N. Sr.ª da Encarnação em Buarcos. Festas que levam "muitas pessoas a Buarcos dignificando o nome da vila piscatória".

Quartel da Figueira pode ser vendido

O Exército quer vender o quartel da Figueira, a directiva do chefe de Estado-Maior do Exército, general Valença Pinto prevê a saída do Batalhão de Transportes do Quartel da Figueira.
A notícia é divulgada na edição desta semana do jornal ”O Figueirense” que cita o Diário Económico na sua edição de terça-feira passada.

Segundo o jornal “Este património, juntamente com outras unidades militares, deve ser alienado, para as verbas alimentarem os fundos de pensões e as obras nas unidades do Exército”.
Aquele diário fala igualmente em “pressão imobiliária”. A reformulação passa também por quartéis em Lisboa e Coimbra.

Universidades “não são boutiques de diplomas”

“Os estudantes não podem mais encarar as universidades como meras boutiques de aquisição de diplomas”. Foi com esta afirmação que Eduardo Santos, Secretário Geral da Universidade Internacional da Figueira da Foz (UIFF) se dirigiu, ontem, aos alunos, docentes e entidades que marcaram presença na abertura solene do ano lectivo da UIFF.

Reflectindo sobre pedagogia universitária, Eduardo Santos considerou que o futuro do ensino superior europeu passa, inevitavelmente, “por um ensino centrado e realizado a partir da investigação, ou seja, a do modelo do professor/investigador e por uma investigação centrada nos problemas pragmáticos da sociedade”.
“As universidades que não investirem na investigação aos níveis individual de carreira e institucional serão em breve meros museus do século passado”, considerou Eduardo Santos.

O docente universitário sustentou, ainda, que as universidades que não efectuarem parcerias com a comunidade “serão em breve meras ilhas num oceano de transformação social contínua”.

Internacional “é polo de desenvolvimento” da região

A Universidade Internacional da Figueira da Foz (UIFF) “é um polo de desenvolvimento da Figueira da Foz e da região” considerou, ontem, o presidente da Associação Académica da UIFF, na abertura solene do novo ano lectivo daquele estabelecimento de ensino.
Paulo Santarém dirigindo-se aos estudantes, docentes e entidades presentes mostrou-se contente com o “crescimento que a UIFF está a sofrer”. “A Universidade Internacional está em mudança” disse Paulo Santarém que pretende que essas alterações vão ao encontro das pretensões dos alunos que passam por “uma afirmação da UI no panorama do ensino superior particular e cooperativo em Portugal”.

Actualmente com 700 alunos, a UIFF está na Figueira da Foz desde o ano lectivo 1990/91, e lecciona três cursos: Psicologia, Gestão e Direito. No entanto a UIFF aguarda, há já algum tempo, a aprovação dos cursos de Contabilidade e Fiscalidade, Gestão Turística e Hoteleira e Engenharia Hidráulica e Recursos Hídricos.

O momento alto da tarde, ontem, estava reservado à assinatura de protocolos com cinco entidades ligadas ao ensino, desporto e reinserção social com o objectivo de “abrir a universidade à comunidade”.
“O novo Conselho de Administração da SIPEC (entidade gestora da UIFF) quer virar esta universidade para o exterior e para a população que a rodeia” frisou Javier Mendez Vigo, presidente da Entidade Instituidora SIPEC que aproveitou para anunciar que “para breve” poderá nascer um “campus” universitário destinado aos estudantes mais carenciados, especialmente, que chegam dos PALOP.

quinta-feira, novembro 20, 2003

Ginásio recebe Aveiro Basket a pensar na vitória

O Ginásio Clube Figueirense recebe esta noite, às 21h00, o Aveiro Basket para a jornada 9 da Liga de Clubes de Basquetebol. O pavilhão Galamba Marques, na Figueira da Foz, vai receber as emoções do basquetebol com os pupilos de Orlando Simões à espreita da quinta vitória no campeonato.

O jogo desta noite tem dois objectivos para o técnico Orlando Simões. “Anular a diferença de cinco pontos frente aos aveirenses e, obviamente, vencer”, afirmou, à Maiorca FM, Orlando Simões.

Singaras Tribé, lesionado, ainda não é opção. Contudo, só mais perto do jogo se poderá saber se o lituano poderá contribuir de alguma forma para o encontro.

O Ginásio quer subir à primeira metade da tabela e frente ao Aveiro Basket o apelo de Orlando Simões aos seus jogadores é “ao espírito colectivo e a uma forte defesa” .

À partida para este encontro, o Clube Figueirense tem 50% de eficácia com quatro vitórias e o mesmo número de derrotas.
Orlando Simões apela ao público para que esta noite vá ao Galamba Marques. “Os jogadores gostam de jogar em casa e é importante a comparência do público no Galamba Marques” disse o treinador.

GIMF vai ter nova sede

A construção do empreendimento “Encosta do Mondego”, na freguesia de Vila Verde deverá incluir a nova sede ao Grupo Instrução Musical da Fontela (GIMF). O complexo é composto por 139 moradias, espaços verdes, um espaço para a eventual construção de um equipamento polidesportivo e um espaço para o GIMF.

A construção de “Encosta do Mondego” deverá ser iniciada dentro de um ano. Segundo o presidente da Junta de Vila Verde, João Carronda, o apoio da Junta ao GIM para a concretização do projecto da sede é “no sentido de mobilizar e sensibilizar os interesses privados com os comunitários”.
“O acordo entre o privado e o GIMF funcionará como uma contrapartida” admitiu João Carronda que acha importante este tipo de parcerias, uma vez que, “o dinheiro público não existe e por isso têm de ser, dentro das suas possibilidades, os privados a fazer esses investimentos”.

Com o novo empreendimento, novos casais e novas pessoas irão certamente morar para vila Verde. João Carronda alerta para a escassez de salas de aula na freguesia. “A freguesia está em crescendo e terá, forçosamente, de sofrer um redimensionamento a nível de salas de aula”, disse o autarca.

A presidente do GIM, Cristina Neves, parca em comentários disse, à Maiorca FM, que quanto à nova sede o processo está “encaminhado” mas, espera para ver tudo “preto no branco”. Cristina Neves, cautelosa, vai contudo admitindo que o novo espaço “será uma mais valia” para a colectividade da Fontela.

PSD acusa PS de "ser como o tango"

O presidente da Comissão Política Concelhia do PSD da Figueira da Foz acusa os dirigentes locais do PS e os vereadores eleitos, pelo Partido Socialista, para a Câmara Municipal de serem “como o tango”.
Segundo José Elísio, os socialistas, sem que o presidente da Câmara Duarte Silva tivesse alterado a sua decisão do que respeita à gestão das Obras Municipais, recuaram na decisão de apresentar uma moção de censura e na apresentação da suspensão de mandato no executivo municipal.
“Incoerência, incapacidade política ou falta de coragem” questiona o líder concelhio do PSD.

Por isso, José Elísio sustenta que os vereadores do PS “não deviam suspender os mandatos, mas sim renunciarem os cargos ou seja demitirem-se”.
“O PS local não se revê nos vereadores, a demissão seria coerente com os antecessores que concorreram à Câmara no mandato anterior e em terceiro lugar porque demostravam ser bons alunos de António Guterres e Ferro Rodrigues que quando verificaram que tinham colocado o país num pântano, o tinham colocado à beira da bancarrota e já não tinham capacidade, nem coragem, nem saber para o tirar da crise onde o tinham colocado, se demitiram. Fugiram” refere José Elísio.

A Vítor Cunha, líder da concelhia do PS, o social-democrata José Elísio pede que “deixe de inventar factos políticos”. “Vítor Cunha, que me parece andar mal aconselhado, deve deixar de inventar factos políticos, de chicana e demagogia política sob pena do PS ser condenado nas autárquicas de 2005” refere o líder da concelhia “laranja”.

Contactado pela Maiorca FM, Vítor Cunha resumiu-se a dizer que o comunicado do PSD “é de uma pobreza de espírito tão grande que não merece nem o comentário da concelhia do PS, nem dos vereadores socialistas no executivo camarário”.


Ginásio assina protocolo com Transniza

O Ginásio assinou, recentemente, um acordo com a Transniza, uma empresa figueirense do ramo dos transportes. O documento assinado visando o apoio da empresa figueirense à actividade desportiva do clube.

Para o presidente do Ginásio, José Tomé, esta é uma parceria “importante”. “Conseguimos mais um apoio financeiro de uma empresa da Figueira da Foz e o ginásio com o prestígio que dá ao basquetebol publicita nas suas camisolas a Transniza” afirmou à Maiorca FM.

Mas, o acordo assinado com a Transniza é “o princípio” de novas parceiras empresariais. “O Ginásio vai encetar mais contactos afim de conseguir apoios de empresas figueirenses, uma forma do clube manter vivo o projecto do basquetebol e de se aproximar dos figueirenses” salientou José Tomé acrescentando que “é uma forma do Ginásio se identificar cada vez mais com a cidade”.

Cristina Magalhães já tem pelouros

Cristina Magalhães, a vereadora que substituiu o demissionário Vítor Guedes, já tem pelouros.
Na última reunião do executivo, o presidente Duarte Silva revelou que a nova vereadora ficará na autarquia a meio-tempo.
Como vereadora adjunta, Cristina Magalhães ficará com responsabilidades nos Serviços jurídicos e Contencioso, Património Municipal e Notariado e ainda Auditoria e qualidade nos Serviços Municipais.

quarta-feira, novembro 19, 2003

Lojistas de "O Trabalho" descontentes com o estado de degradação do edifício

Os Lojistas de Centro Comercial “O Trabalho”, localizado no Bairro Novo, na Figueira da Foz marcaram presença na sessão do executivo camarário com o objectivo de demostrar o seu descontentamento face ao estado de degradação em que se encontra o edifício e há já quem tema pela integridade física.

Cerca de uma dezena de comerciantes, lançaram um S.O.S ao presidente da Câmara Municipal, Duarte Silva, para que “através do dialogo” com a proprietária do imóvel, a Companhia de Seguros Açoreana, do Grupo Banif, seja encontrada uma solução para o espaço.

Os lojistas dizem-se esquecidos pela administração do imóvel. “Hoje estamos completamente votados ao ostracismo. O centro não tem vida própria”, sustentou Beja da Silva, um dos lojistas.

As queixas “são mais que muitas” e os comerciantes reclamam a degradação do centro comercial, bem como “milhares de euros de prejuízo”. No final de 2001, a administração anunciou que em breve realizaria obras mas, até hoje, “não houve obras, nem vendas, nem nada”. Após a apresentação de um projecto no qual a administração admitia fazer obras de recuperação do imóvel, algumas declarações do então candidato à Câmara, Duarte Silva, podem ter deitado por terra as pretensões do Banif. Duarte Silva manifestou a intenção de demolir aquele edifício e transforma-lo num espaço de animação.

Contudo, o ex-candidato, agora presidente da Câmara rejeita a hipótese das suas declarações terem sido usadas como pretexto pela administração do imóvel para recuar na restauração do centro. “Não é daí que surge o impasse” disse o autarca aos lojistas.
O edil figueirense diz que a autarquia não tem responsabilidade sobre o imóvel, mas admite fazer uma vistoria ao edifício “caso os lojistas a solicitem”.

Os comerciantes lamentam “milhares de euros de prejuízo”. Maria de Lurdes Silva, porta-voz dos comerciantes denuncia também a insegurança que se vive no edifício. “Temos medo de lá ficar depois das 19 horas” refere Maria de Lourdes, sustentando que “é um pesadelo” a situação vivida pelo centro.

Os lojistas querem “respostas rápidas” quanto ao destino a dar ao centro e ameaçam encetar algumas formas de luta afim de manifestar o seu descontentamento.
Aberto desde 1991, o centro comercial é composto por 44 escritórios, 44 habitações que nunca chegaram a obter a licença de habitabilidade e 36 espaços comerciais.

PS quer saber quanto ganham e qualificações de assessores na autarquia figueirense

O Partido Socialista (PS) da Figueira da Foz quer saber quanto ganham os assessores na Câmara Municipal. No decorrer da última reunião do executivo camarário, a oposição apresentou três requerimentos solicitando, num deles, o acesso às condições dos contratos efectuados em regime de avença.

Os socialistas solicitaram o acesso aos “contratos, pareceres que os fundamentam e vencimentos das pessoas contratadas em sistema de avença, de tarefa ou assessoria, bem como, a fundamentação para os referidos contratos e documentação comprovativa da qualificação técnica adequada para o exercício das respectivas funções na Câmara Municipal”.
Um dos três requerimentos é especificamente dirigido a José Elísio, líder da concelhia do PSD e assessor na Câmara Municipal que, recentemente, passou a assessorar o presidente da Câmara, Duarte Silva, nas Obras Municipais.

“O contrato de avença caracteriza-se por ter como objecto prestações sucessivas no exercício de profissão liberal, podendo-se apenas recorrer a este tipo de contrato quando não existam funcionários com as qualificações adequadas ao exercício de funções objecto de avença” referiu, ao JN, o socialista Rui Carvalheiro fundamentado no n.º 3, do artigo 7º, do Decreto Lei 409/91 de 17 de Outubro.

“Já que politicamente não houve a sensibilidade (de Duarte Silva) para perceber que isto eram funções de um vereador e não de um funcionário” esta parece ser a solução encontrada pelo PS para saber quanto ganha José Elísio e se o mesmo tem a qualificação técnica adequada para o exercício das suas funções na Câmara Municipal da Figueira da Foz.

Os socialistas tem “dúvidas sobre a legalidade da atribuição de funções” do presidente da autarquia, Duarte Silva a José Elísio no pelouro das Obras Municipais. “Temos que clarificar esta situação e queremos saber se não há mais ninguém na autarquia capaz de fazer o que lhe foi atribuído (a José Elísio)”, referiu Rui Carvalheiro.

O socialista salientou que a atribuição de competências em José Elísio “não é eticamente correcta” pelo que “o PS não quer pactuar com este tipo de situações”. “Para ganhar 3 mil euros/mês é porque tem qualificações que mais ninguém tem”, ironizou, Carvalheiro que garantiu que os socialistas farão accionar “todos os mecanismos legais para apurar a legalidade das incumbências” a José Elísio.

No terceiro requerimento, os socialistas solicitaram a consulta do processo relativo à alteração do Plano Director Municipal (PDM) em regime simplificado na freguesia de Buarcos; à construção das Oficinas Municipais na Zona Industrial e à fiscalização de uns prédios localizados na Rua Alexandre Herculano. Duarte Silva tem agora e, segundo a lei em vigor, dez dias para dar resposta às solicitações dos vereadores do PS.

Rita Marques continua na Operação Triunfo II

Rita Marques, a jovem figueirense que participa no programa da RTP1, Operação Triunfo 2 (OT), vai continuar na escola de música do programa. Pela terceira vez a braços com as nomeações, a jovem figueirense assegurou, segunda-feira à noite, a continuidade naquele programa televisivo, ao ser salva pelo público com 51% do votos.

Recém licenciada em Engenharia, Rita Marques, 25 anos, tem na música uma paixão que a mantém desde setembro na Operação Triunfo II. Em conversa com a Maiorca FM, Fernando Marques, pai de Rita mostra-se “satisfeito e agradecido” pela confiança do público.
Contudo, Rita que apesar de continuar na escola da OT foi novamente nomeada para abandonar o programa contando novamente com o voto do público para que seja salvo.
Fernando Marques acredita na vitória da filha mas admite que “existem grandes vozes” na Operação Triunfo 2. “Acredito na resistência de Rita. Ela é uma pessoa com uma personalidade forte” afirmou Fernando Marques.

O vencedor/a do programa da RTP1 será o representante de Portugal no Festival Eurovisão da Canção. Para Fernando Marques esse “é um patamar alto”, mas para o qual a Rita “tem postura e personalidade”. “A Rita tem uma personalidade e postura digna de representar Portugal no Festival Eurovisão da Canção, caso ganhe a segunda edição da Operação Triunfo” sustentou o pai.

Central de Socorro optimiza recursos humanos e materiais

“A fusão dos corpos de bombeiros Municipais e Voluntários da Figueira da Foz está completamente afastada”. A afirmação de Lídio Lopes, delegado Municipal de Segurança, terminou com a possibilidade colocada em tempos sobre uma potencial fusão das duas corporações da cidade.

Ontem, na sessão do executivo camarário foi aprovado por unanimidade a celebração de um protocolo entre a autarquia e os Bombeiros Voluntários da Figueira, com vista à constituição de uma Central de Socorro de Bombeiros e Protecção Civil da Figueira da Foz.

Segundo Lídio Lopes, este é um passo “importante” no sentido da “optimização dos recursos do sistema de bombeiros e Protecção Civil do concelho”. “Mantendo a identidade e a individualidade de cada uma [das corporações], esta Central irá concorrer para um envolvimento operacional conjunto, quer nos meios, quer nos recursos humanos” afirmou o delegado Municipal de Segurança.

Segundo o documento, esta Central permitirá também “mais e melhor informação. Melhor sistema de comunicações. Mais recursos informáticos e de planeamento que proporcionarão melhores soluções operacionais”.

terça-feira, novembro 18, 2003

Marketing Radical no ISCAC

Depois da tournée de seminários “publicidade.com/cannes.2002” e do Festival “Publi…cidade – Figueira da Foz”, a Associação Nacional de Jovens Formadores e Docentes (FORDOC) faz hoje, em Coimbra, a ante estreia do seu terceiro projecto de mostra publicitária.

Inserido na “Feira do Empreendedorismo” do Instituto Superior de Contabilidade e Administração de Coimbra (ISCAC), a FORDOC apresentará, esta tarde, no Grande Auditório do ISCAC um novo seminário, denominado “Marketing Radical”, um m estilo publicitário que cada vez “é mais frequente” em Portugal. “O marketing radical que é cada vez mais uma aposta das empresas portuguesas” sustenta Paulo Antunes da FORDOC.

“Marketing Radical” é uma análise do que de mais importante tem sido feito em estratégias publicitárias sob o princípio de “ame ou odeie”. “É uma estratégia de fidelização de clientes, jogando por vezes com princípios de forma a chocar o público”, refere Paulo Antunes.

E no momento em que o país atravessa um período de recessão económica, a publicidade é a primeira a sofrer com a contenção. Contudo, o jovem formador acredita que “se está a assistir a uma recuperação e que em 2004 tudo volte ao normal”.

CME da Figueira da Foz já está completo

O Conselho Municipal de Educação (CME) da Figueira da Foz já está completo com a eleição, ontem, dos representes dos 2º e 3º Ciclos de Ensino Básico e do Ensino Secundário.
Dos 670 docentes apenas 140 foram às urnas, cifrando a adesão ao sufrágio nos 20%, sendo que o processo de representatividade de todos os níveis de ensino do concelho, ficou concluído, através da eleição directa.

Para a Associação Sindical de Professores Licenciados (ASPL), mais importante que a adesão dos docentes “foi o dizer não às nomeações”. “Os professores do concelho ficaram a ganhar ao dizer não às nomeações para o Conselho Municipal de Educação da Figueira da Foz” disse, à Maiorca FM, Maria Reina da ASPL.
Esta eleição veio, segundo a estrutura sindical “encerrar, na figueira da Foz, a polémica das nomeações dos Docentes a este órgão de forma exemplar e ímpar”.

Contudo na Região Centro este processo “continua díspar”. “Desconhecimento da alteração introduzida pela lei 41/2003, autarquias que aguardam informações por parte dos agrupamentos” são algumas questões que tornam o processo díspar na região centro do país, perlo que a ASPL o processo dos CME “está longe de estar encerrado”.
“Os CME continuam a ser um processo a meio gás” sustenta a estrutura sindical em comunicado, prometendo continuar “atenta” a este processo.


Carta Educativa do concelho estará concluída em Dezembro

A Câmara Municipal da Figueira da Foz vota, hoje, durante a reunião do executivo camarário, um protocolo com o Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Coimbra que visa “o apoio do Centro ao nível informático na elaboração da Carta Educativa do concelho”.

A Figueira da foz “é pioneira” na elaboração da Carta Educativa. A vereadora da educação Teresa Machado afirmou, à Maiorca FM, que a o documento “é imprescindível para o conhecimento da realidade concelhia”.
“É um importante instrumento de ordenamento e de rentabilização dos equipamentos educativos existentes, bem como na procura de uma equilibrada programação no futuro”, disse Teresa Machado.

O documento terá de estar concluído no final do mês de Dezembro e segundo Teresa Machado “vai estar concluído” a tempo graças ao protocolo a firmar com o Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Coimbra. Posteriormente apresentado ao Conselho Municipal de Educação.

Ginásio vence CAB Madeira, jornada 8 da LCB

O Ginásio Clube Figueirense venceu o CAB Madeira por 69-59, regressando deste modo às vitórias na Liga de Clubes de Basquetebol. Os pupilos orientados por Orlando Simões derrotaram, este sábado, no pavilhão Galamba Marques, na Figueira da Foz, os madeirenses, em partida da jornada 8 da Liga Profissional de Basquetebol, tendo o técnico ficado “satisfeito” com a sua equipa que “soube superar” a falta do lituano Singaras Tribé.

O Ginásio soma agora 50% de eficácia com 4 vitórias e quatro derrotas. Resultados que apesar de positivos deixam “um sabor amargo” a Orlando Simões que encaram cada partida como se de uma final de trata-se.

Já na próxima quinta-feira os figueirenses defrontam pela segunda vez, esta temporada, o Aveiro Basket. “A recuperação física dos atletas” do clube da Figueira da Foz é a principal preocupação de Orlando Simões.

Colisão mata sexagenário, motociclista residia em Vila Verde

Carlos Vasco, de 66 anos, residente em Vila Verde, faleceu, ontem, quando o motociclo em que seguia embateu violentamente na traseira de um veículo pesado, na ponte Edgar Cardoso, na Figueira da Foz.

O acidente ocorreu cerca das 7.25 horas, na EN1, no sentido Norte/Sul (Aveiro/Leiria) no tabuleiro principal da ponte figueirense. Segundo o JN apurou o camião estaria estacionado devido a uma avaria mecânica e não terá sido "visto a tempo" pelo sexagenário.
"Tudo aponta para que uma distracção do motociclista tenha sido a causa do acidente" adiantou, ao JN, fonte dos Bombeiros Municipais da Figueira da Foz.

Devido à violência do choque, o motociclista ficou "entalado" na traseira do pesado, o que dificultou o trabalho do INEM que ocorreu ao local, bem como os Bombeiros Municipais e Voluntários da cidade.

Por apurar está se o veículo pesado que se encontrava avariado teria ou não colocado a devida sinalização de aviso.
Nenhuma das fontes contactadas soube dizer se de facto essa sinalização tinha sido colocada pelo camionista.

Devido à hora do acidente o trânsito ficou congestionado na via Norte/Sul da ponte Edgar Cardoso. "Chegou-se a formar uma fila de automóveis com cerca de três quilómetros de distância" revelou, ao JN, fonte da PSP.

segunda-feira, novembro 17, 2003

Motociclista morre após embate violento

Um sexagenário faleceu esta manhã quando o motociclo em que seguia embateu violentamente na traseira de um veículo pesado, na ponte Edgar Cardoso, na Figueira da Foz.
O acidente ocorreu cerca das 07h25 da manhã na EN1, no sentido Norte/Sul (Aveiro/Leiria) no tabuleiro principal da ponte.
Uma “distracção” do motociclista poderá estar na origem no sinistro, segundo fonte dos Bombeiros Municipais.
O trânsito, naquela via, esteve muito congestionado nas horas a seguir ao sinistro. Ao final da manhã, a circulação normal já estava retomada.

Biblioteca com nova sala e tecnologias

A Biblioteca Municipal da Figueira da Foz oferece desde sexta-feira um novo espaço, localizado no quinto piso do edifício, onde o cidadão poderá desfrutar de novos serviços numa clara aposta de “modernização usando as nova tecnologias”. Num espaço “aberto e confortável”, inaugurado ontem, os normais frequentadores da biblioteca tem ao seu dispor três novos postos de Internet (gratuitos), uma nova base de dados, fonoteca e vídeo.

A nova sala, baseada nas mais modernos bibliotecas europeias, é inspirada numa filosofia de “captação de leitores” e permite ler um livro sentado num sofá ou numa mesa “como se em casa estivesse”. “Pretendemos uma maior abertura e receptividade por parte da comunidade escolar e figueirense. Para que não haja nenhuma inibição do leitor, por exemplo, enquanto se lê pode também ouvir um CD de música” explicou, ao JN, Teresa Machado, vereadora da Educação.

Também as inscrições, a requisição e o levantamento de livros será “facilitada”. “Queremos que o novo espaço seja uma porta aberta ao público” sustentou a vereadora sublinhando que o grande objectivo “é que as pessoas se sintam em casa e assim se enriqueçam culturalmente”.

No Ano Europeu do Cidadão com Deficiência, os deficientes não foram esquecidos e a nova sala está equipada com dois elevadores e casas–de–banho para deficientes. Num futuro próximo também os cidadãos com problema visuais poderão ler na nova sala da biblioteca. “Vamos fazer um levantamento do número de pessoas cegas afim de adquirir várias obras literárias em Braille”, revelou Teresa Machado.

Para divulgar o espaço, a autarquia vai agora encetar um projecto “ambicioso” junto das escolas e que englobará várias actividades. “As pessoas ainda pensam que a biblioteca é aquele espaço pequeno do antigamente e nós queremos mudar essa mentalidade”, conclui Teresa Machado.

O valor das obras da Biblioteca Municipal orçaram os 200 mil euros e incluíram também a pintura do exterior do edifício (museu e biblioteca), a substituição de caixilharia e colocação de vidros duplos, a remodelação do auditório do Museu Municipal e do Arquivo Fotográfico que, segundo Teresa Machado, será ser inaugurado em Dezembro.

quinta-feira, novembro 13, 2003

Mau tempo leva ao encerramento da Barra

A barra marítima da Figueira da Foz esteve, esta noite, encerrada à navegação.
O mau tempo e a forte ondulação do mar são as causas para o encerramento, como referiu, à Maiorca FM, Fidalgo de oliveira, comandante da capitania figueirense.
"O aumento de ondulação e a diminuição da segurança às embarcações levou a que a capitania encerrasse, cerca da meia-noite, a barra à navegação" informou Fidalgo de Oliveira.

Já durante esta manhã a barra passou a condicionada, uma vez que as condições do estado do mar "melhoraram". A barra marítima da Figueira da Foz continua interdita a embarcações de cumprimento inferior a 11 metros.
Para além da Figueira da Foz, também Póvoa do Varzim, Douro, e São Martinho encontram encerradas à navegação.


PS teme discriminação “em função da cor política”

A delegação de incumbências nas Obras Municipais, delegadas pelo presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, o social-democrata Duarte Silva, ao seu chefe de Gabinete, Lídio Lopes e ao presidente da Concelhia PSD, José Elísio (também assessor na autarquia) continua a gerar polémica.

O presidente da Comissão Política do PS local, Vítor Cunha denuncia que José Elísio “sem qualquer legitimidade democrática e ao arrepio de toda a razoabilidade que em democracia deve existir” anda pelas freguesias do concelho “a elaborar o Plano de Actividades (PA)” para 2004.
“Tememos que as juntas do PS sejam prejudicadas na elaboração do PA” disse, ao JN, Vítor Cunha adiantando que caso Duarte Silva não retire as incumbências aos dois “mandatários políticos”, o PS vai exortar “todos os presidentes de junta a reivindicarem ao presidente da Câmara um comportamento eticamente adequado entre eleitos na elaboração do Plano de Actividades”.

“Esse plano tem que ser feito sem qualquer discriminação em função da cor política” defende o socialista sustentando que “o presidente da Câmara e de junta foram eleitos e não devem precisar de interlocutores para comunicarem entre si”.

Vítor Cunha exige ao presidente da Câmara que “reconsidere a sua decisão” e retire as incumbências aos dois “mandatários políticos”, sob pena de ficar “para sempre associado à má prática do exercício do poder autárquico, favorecendo descaradamente, económica e politicamente, os seus amigos políticos, continuando a gerir alguns silêncios comprometedores”.

Sobre os factos políticos relacionados com a redistribuição dos pelouros, nomeadamente as Obras Municipais, Vítor Cunha sustenta que este criaram situações “pouco transparentes, ambíguas, que desacreditam os órgãos eleitos e subvertem o voto dos figueirenses”. “Não queremos (PS) pactuar com este tipo de situações” concluiu Vítor Cunha.


Forças de segurança em sintonia

Diversas forças de segurança da Figueira da Foz e do distrito jogam entre si o “I Torneio Sintonia” até ao próximo dia 29. Os encontros de futebol de cinco realizam-se no Colégio de Quiaios onde, equipas da PSP, Brigada Fiscal, Polícia Judiciária, IGAE, Escola Prática de Serviços e Transportes, GNR e Bombeiros Municipais e Voluntários medem forças ao chuto na bola.

O objectivo é, acima de tudo, “reforçar os laços de amizade” entre os diversos elementos de segurança.
Prognósticos só no final do encontro, contudo duas equipas destacam-se já das demais, segundo Vítor Rodrigues da Brigada Fiscal da Figueira. “A Escola Prática do Serviços de Transportes e a PSP são para já as candidatas ao título”, garantiu o militar.
O “Torneio Sintonia” promete ser anual e de organização rotativa.

Obras de saneamento começaram em Borda do Campo

A Câmara Municipal da Figueira da Foz deu, esta segunda-feira, início aos trabalhos no âmbito da empreitada da rede de saneamento na freguesia de Borda do Campo, com a implementação do colector principal na rua 1º de Maio em Sobral.

A empreitada vai desenvolver-se em vários lugares na freguesia de Borda do Campo e na Telhada, na Freguesia do Paião, com os trabalhos a prolongarem-se por sete meses.
Com a rede de saneamento a chegar a 75% do concelho chegou, agora, a vez de Borda do Campo que vê assim satisfeita uma pretensão “de há já longa data”.

O autarca local, José Gaspar referiu, à Maiorca FM, que a qualidade de vida da freguesia “aumentará”.
Os cerca de mil habitantes da freguesia de Borda do Campo dentro em breve vai deixar “de recorrer a drenagens a céu aberto”.

O vereador Ricardo Silva referiu ainda que depois de Borda do Campo, os trabalhos prosseguem na freguesia de Lavos, Alqueidão, e a partir de Janeiro no Bom Sucesso, Moinhos da Gândara, Santana, Ferreira-a-Nova.

quarta-feira, novembro 12, 2003

“Embriagado de Mulheres e Pintura”, esta noite no CAE


Esta noite poderá assistir a uma Sessão Especial de Cinema no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz, a partir das 21h30.

Em exibição estará – “Embriagado de Mulheres e Pintura”, um produção coreana, realizada por Im Kwon-Taek.

O filme remonta a 1850 e conta a história de um rapaz salvo de um espancamento.

Ao explicar, através de um desenho, o porquê de estar a ser espancado, KIM, que havia salvo o jovem, apercebe-se de imediato do talento inato deste e, anos mais tarde, ajuda e incentiva-o a aprender e tornar-se um grande pintor.

Na senda da perfeição da sua arte, o jovem vai ultrapassando limites, quebrando regras, inovando constantemente, até sentir toda a sua energia interior transpirar para o papel através do pincel.

Um filme a não perder e distinguido, em 2002, o Prémio de Melhor Realizador no Festival de Cannes.

Fado na Filarmónica Figueirense

A Casa do Pessoal do Hospital Distrital da Figueira da Foz organiza, no próximo dia 15, uma “Grande Noite do Fado” que acontecerá na sede da Sociedade Filarmónica Figueirense.

Com inicio previsto para as 21h00, a noite de fado contará com as presenças de Armindo Fernandes e Manelito, na guitarra e à viola, respectivamente, e ainda com os fadistas Luís Oliveira, Rosarinho, Sara Raquel, Clara Maria e António Rodrigo.
Ao palco sobem também alguns membros da Casa do Pessoal: Lucília Conceição, Eufrásio Antunes, Ana Cristina Silva e Isabel Oliveira.

"Mistura de interesses partidários e de grupo tem condicionado gestão municipal”, PCP acusa

A Comissão Política Concelhia do PCP pronunciou-se sobre os últimos acontecimentos que tem envolvido o actual executivo camarário de maioria social-democrata, vinculados em diferentes órgãos comunicação social local, regional e nacional. A concelhia comunista salienta que desde a tomada de posse deste executivo que “eram previsíveis dificuldades e constrangimentos dado a incomoda situação financeira herdada do mandato anterior”.

Quanto às incumbências na pasta das Obras Municipais, delegadas pelo presidente Duarte Silva, a dois “comissários políticos”, a concelhia do PCP fala em “mistura de interesses partidários e de grupo” que “tem vindo a condicionar a gestão municipal”. “O funcionamento do Órgão Autárquico tem sido prejudicado pela mistura de interesses partidários e de grupo” afirmou Francisco Guerreiro, da concelhia comunista da Figueira da Foz que sustenta que “caso não se verifiquem alterações profundas só resta uma solução ao presidente Duarte Silva: a demissão do seu cargo”.

No entanto o PCP não aponta só o dedo ao PSD uma vez que também o PS também “deu aval” à actual Lei de Competências e Atribuições das Autarquia, no que refere ao reforço de poderes dos presidentes. “A expressão democrática do voto e da acção fiscalizadora da oposição poderá estar dificultada caso o novo projecto conjunto de Lei de Competências e Atribuições das Autarquia seja votado favoravelmente” alerta o PCP.

O Partido Comunista da Figueira pronunciou-se ainda sobre a redistribuição de pelouros “que se impõe” após a saída de Vítor Guedes. O PCP pede uma redistribuição “equilibrada e equitativa”.
No que refere ao “Caso Ponte do Galante”, os comunistas esperam por um “total esclarecimento” do assunto. O PCP da Figueira quer um “total esclarecimento” sobre a venda dos terrenos da Ponte do Galante, bem como o “integral apuro de responsabilidades e o juízo dos infractores se os houver de facto”.

Figueira - Coimbra em 55 minutos, já em Dezembro

O tempo das ligações ferroviárias entre a Figueira da Foz e Coimbra vai ser reduzido em 15 minutos já a partir do próximo mês, com a entrada em circulação do “Expresso Regional” entre as duas maiores cidades do distrito.

A CP vai iniciar esta viagens regulares em meados de Dezembro. Segundo Aguiar de Carvalho, vogal do conselho de Gerência da CP, para além da melhoria no tempo de viagem, este serviço vai traduzir-se também “numa melhor qualidade de serviço, tanto no que toca ao conforto, como no material circulante”.

Aguiar de Carvalho que revelou ainda que o preço dos bilhetes para o “Expresso Regional” será igual ao praticado nas linhas “normais”. O novo serviço ser efectuado três vezes por dia em cada um dos sentidos e as ligações entre a Figueira da Foz e Coimbra passarão de 70 minutos para 55.

Quanto ao ramal da Pampilhosa e à linha do Oeste que há muito reclama modernização, Aguiar de Carvalho referiu que ainda “não existem soluções”. Segundo o responsável da CP “é preciso encontrar soluções através de parcerias”, em que se tem que equacionar “a procura com a oferta”. Quanto à Linha do Oeste, Aguiar de Carvalho revela que ela poderá ser uma linha de rebate do TGV.


segunda-feira, novembro 10, 2003

"Linha Rosa" dá voz às queixas populares

A Juventude Socialista (JS) da Figueira da Foz quer chegar mais próximo da população. Com essa finalidade, a JS vai, na próxima quarta-feira, lançar a "Linha Rosa", uma ideia inédita no concelho e que pretende "melhorar o dia-a-dia dos cidadãos do concelho".

A "linha" servirá como posto de atendimento ao cidadão onde, nos dias úteis, entre as 14.30 e as 17.30 horas, todos os munícipes do concelho são "convidados" a denunciar situações, sejam elas atentados ambientais, casos de exclusão social, questões políticasda freguesia ou do concelho.

"As pessoas muitas vezes não conseguem queixar-se junto das entidades competentes" afirmou, ao JN, o líder da JS local, João Portugal, que acredita que com a "Linha Rosa" se obtenha respostas "mais rápidas".
"Quem ligar poderá deixar mensagem e no dia seguinte um elemento da JS entrará em contacto com o queixoso", revela João Portugal, afirmando que se pretende "estar mais próximo da realidade do concelho".

Após o alerta das eventuais "irregularidades", a JS estuda o processo, reencaminhando de seguida as queixas para as entidades competentes. "Através da mediatização dos casos vamos pressionar para uma rápida resolução dos problemas" afirma João Portugal. A "Linha Rosa" é o 919455731.

Ginásio perde frente ao Queluz

O Ginásio Clube Figueirense voltou a perder na Liga de Clubes de Basquetebol ao ser derrotado pelo Queluz por 66-75, no passado sábado, no pavilhão Galamba Marques, na Figueira da Foz.
Os pupilos de Orlando Simões que já vinham de uma derrota frente à Oliveirense não conseguiram superar a equipa do Sul considerada “como uma das quatro melhores deste campeonato” pelo treinador da equipa da Figueira da Foz.
O técnico afirmou à Maiorca Fm que a derrota teve “um sabor amargo”. “O Queluz foi um justo vencedor pelo que fez no prolongamento” admitiu Orlando Simões que está a braços com as lesões no seu plantel.

Singaras Tribé continua a recuperar de uma tendinite. No jogo frente ao Queluz, o norte-americano Earl Hunt fez um estiramento a uma das coxas.

Orlando Simões quer recuperar esses dois jogadores para o próximo encontro frente ao Aveiro Basket e prepara a partida de forma “cautelosa”. “Vamos preparar a partida com o máximo cuidado” afirmou Orlando Simões que quer regressar às vitórias.

Com a derrota, de sábado, o Ginásio soma 43 por cento de eficácia. Em sete partidas venceu três e experimentou o sabor da derrota por quatro vezes. Na próxima jornada defronta o Aveiro Basket no próximo dia 22.

Naval vence Chaves e mantem 3º posto na Liga de Honra

A Naval 1º de Maio venceu o Desportivo de Chaves, este domingo, por 1-0, no municipal Bento Pessoa, na Figueira da Foz. Em partida referente à 11ª jornada da Liga de Honra os pupilos orientados por Tony Oliveira tiveram que esperar até ao minuto 87, altura em que o nigeriano Samson respondeu com golo ao cruzamento do médio Carlitos acabado de entrar na partida.
Resultado para a história Naval, 1 – Chaves, 0.

O técnico Tony, em declarações à Maiorca FM, considerou que a vitória “foi difícil mas justa”, salientando ter ficado “satisfeito” com a exibição de ontem. Contudo o técnico admite que o ataque navalista “ainda não está a 100%”. Um aspecto no qual Tony promete trabalhar. “Gostaria que o ataque navalista não desperdiçasse tantas oportunidades de golo”, afirmou o técnico.

Com esta vitória os navalistas somam 21 pontos e encontram-se no 3º posto da tabela classificativa da Liga de Honra, atrás do Estoril, o líder com 25 e do Varzim com 24 pontos.
Na próxima jornada, a décima segunda, a Naval voa até à Ilha da Madeira para defrontar a União local. A partida está agendada para dia 30 do corrente mês.

Com a paragem no campeonato, a turma navalista está de folga, voltando ao trabalho só na quarta-feira. Tony começa a preparar o jogo para a Taça de Portugal frente ao Leixões. “A equipa vai começar a trabalhar, essencialmente, os índices físicos e técnicos com vista ao encontro frente ao Leixões” para a Taça de Portugal, partida agendada para 23 de Novembro.

Governo apresenta Plano Estratégico Ferroviário

O Governo apresenta, hoje, em Lisboa, o Plano Estratégico Ferroviário para o século XXI. A apresentação estará a cargo do ministro das Obras Públicas, Carmona Rodrigues.

O anuncio foi feito pelo primeiro- ministro, durão Barroso na conferência de imprensa de imprensa no final da 19ª cimeira luso-espanhola, que terminou este sábado, no Centro de Artes e Espectáculos, na Figueira da Foz.

O chefe de Estado português não adiantou grandes pornemores sobre este Plano que, contudo considerou um projecto “ambicioso” e que mudará “muito” a concessão de transportes na Peninsula Ibérica.

Sobre o financiamento necessário para colocar em prática o plano, Durão Barroso assegurou que existem parcerias com a Refer, com empresas privadas e 20% do Orçamento de Estado.

O Plano vai trazer “mais valias” a Portugal. “Calculamos que este Plano de investimento no nosso sector ferroviário contribua para um aumento do PIB de 2,8%, no final do programa e que contribua para a criação de 91500 postos de trabalho, ao longo de todos os anos de execução” revelou Barroso.

“Vai responder a um esforço financeiro médio/anual do Governo português de 650 milhões de euros e vai tocar directamente, em termos dos concelhos abrangidos, 81% da população do país”, adiantou ainda o chefe de Estado.

Em suma, “Números que transformam este, num projecto ambicioso e financeiramente assente em bases sólidas e prudentes”, concluiu.

Lions repensam lionismo

O museu municipal Dr. Santos Rocha recebeu, sábado, as Jornadas Lionistícas do Lions Clube da Figueira da Foz (LCFF). O encontro enquadrou-se no 41º aniversário do Lions figueirense e serviu para, essencialmente, “repensar o que é e o porquê do lionismo” quando se celebram 50 anos da existência deste movimento em Portugal.

O encontro serviu também para apresentar a 27.ª edição das Jornadas de Teatro Amador do Concelho da Figueira da Foz, que terão início no Dia Mundial do Teatro, a 27 de Março, e decorrem até 23 de Maio. “Neste período os diversos grupos e teatro fazem como que um intercâmbio levando as suas peças a outras colectividades ou grupos do concelho” explicou José Manuel Russo, presidente do LCFF.

As Jornadas de Teatro Amador continuarão com o modelo “tradicional” do certame e a organização acredita numa “boa adesão” por parte dos grupos e colectividades do concelho.

As jornadas vão decorrer entre Março e Maio de 2004. Contudo, O programa arranca já este mês, com diversas iniciativas, entre as quais algumas acções de formação, há muito pedidas pelos grupos de teatro locais.

Finalmente! Portugal e Espanha entendem-se quanto ao TGV

A 19ª Cimeira Ibérica que, sábado, terminou na Figueira da Foz trouxe “decisões com consequências profundas” para o futuro de Portugal e Espanha, com o primeiro-ministro português e espanhol, Durão Barroso e José Maria Aznar, respectivamente a celebrarem o acordo do TGV e do mercado ibérico de energia.
No que respeita à definição do plano ferroviário, que vai servir para ligar os dois países de forma mais rápida, Durão Barroso salientou que foram estabelecidas estas ligações “com prazos e compromissos precisos formalizados».

O chefe de estado português salientou ainda que este acordo “é importante pois só com ele é que Portugal também poderá definir a própria rede ferroviária do país”.
Esta Cimeira marcou finalmente o consenso quanto aos traçados os caminhos do TGV. A ligação entre Lisboa e Madrid vai estar concluída em 2010, Porto-Vigo, em 2009, Aveiro-Salamanca em 2015 e finalmente Faro-Huelva em 2018.

Ligações que, segundo Durão Barroso “servem o objectivo do Governo português em equilibrar o norte e o sul do país”. “Uma solução perfeita ao nível técnico e da justiça regional” salientou Durão Barroso “satisfeito” com o plano lógico do TGV.

Para além do TGV, outra questão importante obteve resultados positivos. O MIBEL, Mercado Ibérico de Electricidade vai entrar em funcionamento a 20 de Abril de 2004, decorrendo de forma faseada até 2006. um mercado que servirá 56 milhões de consumidores dos dois países da Península Ibérica.

Os chefes de Governo de Portugal e Espanha admitiram, sábado, que, após a entrada em funcionamento do MIBEL, em 2004, a criação de mercados comuns noutras áreas energéticas “poderá ser uma realidade”. “Desejo mais investimento português em Espanha e espanhol em Portugal" afirmou Durão Barroso sublinhando que "Portugal já cometeu no passado erros que não pode repetir", uma vez que, afirmou, "não há alternativa ao mercado espanhol e europeu".

Por seu turno, o primeiro-ministro espanhol, considerou "lógico” que o mercado entre os dois países “se aprofunde e desenvolva noutras áreas da energia". “Não teria lógica que o mercado integrado não passasse por outras áreas da energia” afirmou Aznar que garantiu que Espanha “não tem qualquer resistência ao investimento português naquele país”. Os empresários portugueses que venham!" exortou Aznar.

O primeiro-ministro espanhol que desvalorizou as palavras do presidente da República Portuguesa, Jorge Sampaio, acerca das alegadas dificuldades encontradas pelas empresas portuguesas no mercado espanhol, ao afirmar que "os investimentos portugueses em Espanha estão a ser mais importantes que os investimentos espanhóis em Portugal”.

Além da definição da rede ferroviária de alta velocidade e da confirmação da entrada em funcionamento em 2004 do Mercado Ibérico de Electricidade, a cimeira da Figueira da Foz ficou ainda marcada pela assinatura de diversos acordos bilaterais.

Falta do Golfe "priva" a vinda de mais turistas espanhóis

A estadia na Figueira da maioria dos ministros portugueses poderá ter sido aproveitada por Duarte Silva para conversas informais com elementos do Governo sobre assuntos ligados ao concelho.

Questionado sobre se o golfe foi uma dessas matérias, a abordar com o ministro do Ambiente Amílcar Theias, Duarte Silva não quis tecer grandes comentários mas lá foi dizendo que o processo “foi mal tratado” no passado e que a falta do Golfe da Figueira tem “privado” a vinda de muitos turistas espanhóis à Figueira.
“A Figueira da Foz tem perdido turistas espanhóis pela falta de um campo de golfe no concelho” disse o autarca. Abordado pelos jornalistas Amílcar Theias, ministro do Ambiente, não quis prestar declarações.

Um dos pontos em cima da mesa na XIX Cimeira Ibérica disse respeito ao MIBEL, Mercado Ibérico de Electricidade.
Portugal e Espanha vão assinar, em 20 de Janeiro do próximo ano, o Tratado Internacional que permitirá a entrada em vigor, em 20 de Abril, do Mercado Ibérico de Electricidade.

Esta medida permitirá a cerca de 56 milhões de cidadãos de Portugal e Espanha obter energia eléctrica a preços mais baixos.
Para o presidente da Câmara municipal da Figueira da Foz, Duarte Silva a questão “é importante para o concelho”, uma vez que está em perspectiva a vinda para o concelho da empresa espanhola Iberdrola.

Lenços branco para Barroso e Aznar

O primeiro-ministro português, Durão Barroso e o primeiro–ministro espanhol, José Maria Aznar foram recebidos, sexta-feira, na Figueira da Foz com lenços brancos mostrados por sindicalistas do distrito de Coimbra e pelo Grupo dos Amigos de Olivença, que marcaram presença perto do Centro de Artes e Espectáculos (CAE), na Figueira da Foz, local onde se realizou a XIX Cimeira Luso-Espanhola.

"Está na hora do Governo ir embora", gritaram cerca de duzentas pessoas à passagem dos carros da comitiva dos dois chefes de Governo. A União de Sindicatos de Coimbra (USC) pretendia entregar a Durão Barroso dois documentos, sobre a actual situação social e laboral no distrito de Coimbra, e outro sobre a reforma da administração pública.
“Durão ganha mais que Aznar, e os portugueses ganham muito menos que os espanhóis" reclamaram os sindicalistas que reivindicam “melhores salários e melhores condições laborais em Portugal”. António Moreira da USC que acabaria por não entregar a Durão Barroso os dois documentos que a estrutura sindical pretendia.

A questão de Olivença viajou também até à Figueira da Foz onde elementos do Grupo dos Amigos de Olivença defenderam “o regresso do território á soberania portuguesa”. “Olivença está ilegalmente ocupada por Espanha” disse, à Maiorca FM, Fernando Castanhinha do Grupo dos Amigos de Olivença que espera o Governo português “passe a uma posição activa sobre o assunto”. Aquele elemento condenou ainda que a língua portuguesa tenha sido proibida em escolas, comércio e tribunais de Olivença.

Segundo um comunicado distribuído pelo Fórum Olivença, "É a própria Constituição da República Portuguesa, pelo seu Artigo 5/o, que determina que Olivença faz parte do território nacional". Este Fórum questiona ainda como é que “Espanha reivindica Gibraltar sem direitos válidos, por que razão não pode o Estado português exigir o que nos pertence?".

E enquanto no palácio Sotto Mayor se discutiam os traços do TGV, cá fora o sindicato Nacional dos Ferroviários apelava “à melhoria das linhas e infra-estruturas tradicionais na região centro”. A “degradação e falta de qualidade dos ramais e do material circulante” são alvo das críticas do Sindicato Nacional dos Ferroviários, através de Américo Leal.

Quanto à questão das oficinas da EMEF da Figueira da Foz, o sindicalista reclama “um investimento para que o grupo oficinal continue a desempenhar o papel para o qual foi criado: reparar e conservar material circulante”.

Contudo, o ímpeto dos sindicalistas e dos manifestantes foi travado pelo gradeamento policial existente na zona envolvente ao CAE, de resto uma zona sob fortes medidas de segurança.